Mito e política na tragédia Persas de Ésquilo

Autores

  • JAA Torrano Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i6p25-35

Palavras-chave:

Ésquilo, Os Persas, tragédia grega, pensamento mítico, política, Xerxes, hýbris

Resumo

Representada em 427 a.C., e considerada hoje a mais anti- ga das tragédias que nos chegaram, a tragédia de Ésquilo intitulada “Persas” investiga o sentido de fatos da história política recente, servindo- se do imaginário e de noções próprias do pensamento mítico. Recentes eram a invasão da Ática pelos persas e a inesperada vitória dos gregos comandados por atenienses sobre as forças invasoras. Como se explicam essa derrota e vitória inesperada, sob a perspectiva do imaginário e das noções próprias do pensamento mítico? Que relação se estabelece, nessa tragédia, entre o pensamento mítico e a reflexão política? Mas, antes, o que é mito e o que política, no texto da tragédia e em seu contexto?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-10-26

Como Citar

Torrano, J. (2002). Mito e política na tragédia Persas de Ésquilo. Letras Clássicas, (6), 25-35. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i6p25-35

Edição

Seção

Artigos