Os caminhos “errantes” de Édipo, a sacralização do saber positivo, o mistério profano

Autores

  • Kathrin Holzermayr Rosenfield Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i6p99-116

Palavras-chave:

́dipo Rei, saber mântico, conhecimento humano

Resumo

Este artigo ilumina o novo lugar que a poesia de Sófocles reserva ao saber e à figura do adivinho. Realça os elementos que diminuem as conotações religiosas da intervenção de Tirésias em Édipo Rei. Mostra as técnicas com as quais o poeta sugere que o saber dos oráculos e o destino surgem de um limiar do “adivinhar” profano que envolve, como um halo, a produção do conhecimento positivo e as atitudes práticas da experiência humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-10-26

Como Citar

Rosenfield, K. H. (2002). Os caminhos “errantes” de Édipo, a sacralização do saber positivo, o mistério profano. Letras Clássicas, (6), 99-116. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i6p99-116

Edição

Seção

Artigos