Os verbos impessoais na gramaticografia portuguesa setecentista:

descrição e abordagens teóricas subjacentes

  • Rogelio Ponce de León Universidade do Porto
Palavras-chave: hHistoriografia linguística, século XVIII, gramaticografia da língua portuguesa, sintaxe, verbos impessoais

Resumo

No artigo, são estudadas as diferentes propostas acerca dos verbos impessoais, registadas na gramaticografia da língua portuguesa de Setecentos. A análise tem como objetivo deduzir, nas obras metagramaticais, abordagens teóricas convergentes e divergentes, determinando as fontes em que se fundamentam e a eventual relação entre elas; nomeadamente, entre as gramáticas que descrevem a língua portuguesa e as enquadradas na gramaticografia da língua latina (portuguesa ou forânea) e de outras línguas, como a espanhola. Para atingir o objetivo referido, é analisado o seguinte corpus de gramáticas portuguesas: as Regras da lingua portugueza, espelho da língua latina (Lisboa, 1721) de Jerónimo Contador de Argote, a Arte da grammatica da língua portugueza (Lisboa, 1770) de António José dos Reis Lobato, a Grammatica philosophica e orthographia racional da língua portugueza (Lisboa, 1783) de Bernardo de Lima e Melo Bacelar, o Methodo gramatical resumido da língua portugueza (Lisboa 1792) de João Joaquim Casimiro, a Arte da grammatica portugueza (Lisboa 1799) de Pedro José de Figueiredo, e os Rudimentos da grammatica portugueza (Lisboa 1799) de Pedro José da Fonseca.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-04-23
Como Citar
Ponce de León, R. (2019). Os verbos impessoais na gramaticografia portuguesa setecentista:. Linha D’Água, 32(1), 107-128. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v32i1p107-128
Seção
Artigos originais