A tensão entre a luz e a sombra

um estudo das mesclagens conceituais em Luzescrita, as obras intermidiáticas de Arnaldo Antunes

Palavras-chave: Intermidialidade, Rajewsky, Clüver, Mesclagem conceitual, Arnaldo Antunes

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de estudos das metáforas realizadas em uma pequena seleção de obras da exposição intitulada Luzescrita (2013-), que reúne as artes experimentais assinadas por Arnaldo Antunes, Fernando Lazslo e Walter Silveira. Foram selecionados trabalhos assinados por Arnaldo Antunes, com a montagem e registro permanente em fotografia de Fernando Lazslo, nos quais foram observados os embates entre dois ou mais conceitos que resultaram em um terceiro conceito renovado. A escritura poética de luz, estruturada pela tensão entre a luz e a sombra, acessa metáforas complexas e plurissignificativas que permitiram pensar em mesclagens de conceitos. Por metáforas compreendemos as combinações criativas entre unidades lexicais conhecidas que apresentam sentidos diferentes dos significados dicionarizados. A noção de efeito de genericidade de Adam e Heidmann (2004) permitiu identificar os traços poéticos e artísticos nas obras. Considerando a literatura e a arte como mídias distintas, podemos apontar o caráter híbrido das produções por meio da intermidialidade de Rajewsky (2002) e Clüver (206; 2007). O estudo da metáfora foi pautado na noção de mesclagem conceitual (FAUCONNIER; TURNER, 2002). A relevância deste estudo pauta-se no desenvolvimento de um novo método de pesquisa necessário para o escrutínio de objetos intermidiáticos e na novidade semântica observada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-11-20
Como Citar
Takakura, S. (2019). A tensão entre a luz e a sombra. Linha D’Água, 32(3), 137-158. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v32i3p137-158
Seção
Artigos originais