Relatório e Projeto na Licenciatura: a Escrita como Potencialização da Experiência

  • Neide Luzia de Rezende

Resumo

Este artigo busca discutir aspectos relacionados a atividades de escrita do curso de Licenciatura, especificamente da disciplina de Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa (MELP), na Faculdade de Educação da USP. Procura distinguir peculiaridades dos textos solicitados aos alunos no curso de Letras e no curso de Licenciatura. Neste último, sobretudo quando são textos decorrentes de atividades de estágio e de projeção da prática escolar do futuro professor de português. Os Relatórios de Estágio, os Diários de Campo e os Projetos para a Sala de Aula são abordados na disciplina de MELP a partir de suas características discursivas, tendo em vista a dupla dimensão que apresentam: a de prática social e de prática escolar. Assim, o modo de ser desses gêneros érepensado àluz das necessidades de aprendizagem de texto e de escrita, numa perspectiva metalinguística inerente aos textos acadêmicos – especialmente no curso de Letras, que forma especialistas em Língua Portuguesa –, mas são também, na Licenciatura, instrumentos da formação do profissional, no caso, formação do futuro professor de Português. Desse modo, o conhecimento acumulado confrontado com a vivência empírica, com uma situação específica observada e/ou vivenciada na escola, ou ainda com uma projeção dessa experiência mediante a escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-09-04
Como Citar
Rezende, N. (2010). Relatório e Projeto na Licenciatura: a Escrita como Potencialização da Experiência. Linha D’Água, (23), 57-74. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v0i23p57-74
Seção
Artigos originais