O realismo maravilhoso em o Sumiço da santa: uma história de feitiçaria, de Jorge Amado

  • Valdirene Rosa da Silva Melo Universidade Federal do Piauí - UFPI
  • Saulo Cunha da Serpa Brandão Universidade Federal do Piauí - UFPI
Palavras-chave: Realismo Maravilhoso, Jorge Amado, Transgressão.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo tecer conjecturas sobre o realismo maravilhoso presente na obra O Sumiço da santa: uma história de feitiçaria, do escritor baiano Jorge Amado. Considerando-se que na citada obra é possível perceber a recorrência de elementos sobrenaturalizados  povoando o ambiente narrativo de maneira natural e amalgamados com a realidade será proposta para esta análise uma leitura crítico-interpretativa do Realismo Maravilhoso como um elemento de transgressão que ganha espaço dentro da narrativa.Tal norteamento permitirá dar à obra um olhar literário contestador e inovador, capaz de contrapor um modelo  cultural moldado em padrões europeus  à simplicidade da cultura local repleta de misticismo e crendices populares.

Biografia do Autor

Valdirene Rosa da Silva Melo, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Mestre em Letras pela Universidade Federal do Piauí. Área de concentração: Estudos Literários. 


Saulo Cunha da Serpa Brandão, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Professor Associado IV de Literatura na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Doutor em Letras - Teoria da Literatura pala UFPE, 2001, com estágio na Illinois State University . Pós-doutorado No NUPILL/UFSC (2003). Estágio Sénior (CAPES) na University of Washington - Seattle, em 2013-2015.

Referências

AMADO, Jorge. O Sumiço da Santa: uma história de feitiçaria. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 1999.

CARPENTIER, Alejo. Prefácio. In: O reino deste mundo. Record: Rio de Janeiro, 1985.

CARROL, Lewis. Alice no país das maravilhas, São Paulo: Nacional, 1979.

CHIAMPI, Irlemar. O Realismo Maravilhoso. São Paulo: Perspectiva, 1980.

RODRIGUES, Selma Calasans. O fantástico. São Paulo: Ática, 1988.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

Publicado
2017-12-23