À la Kafka ou Zacarias é

  • Julia Teitelroit Martins PUC-Rio
Palavras-chave: Fantástico, Estranho, Murilo Rubião, Franz Kafka

Resumo

O presente ensaio concentra-se no desafio que a obra kafkiana coloca para a teoria literária. Murilo Rubião, que desde o início de sua carreira foi comparado ao escritor de origem tcheca, é trazido para a discussão. Serve de suporte teórico o ensaio de Sartre “Aminadab” (1943), em que ele enxerga em Kafka uma evolução do gênero fantástico, a qual nomeia “fantástico humano”.

Biografia do Autor

Julia Teitelroit Martins, PUC-Rio

Doutoranda em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Mestre em Letras também pela PUC-Rio. Graduou-se em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB), com intercâmbio de 1 ano na Universidade de Sophia, em Tóquio.

Em paralelo à carreira acadêmica, Julia atua na área de audiovisual, desde 2002, como diretora, roteirista e montadora. Atualmente, escreve seu primeiro roteiro de ficção de longa-metragem, Campo dos Sonhos, que tem relação com seu projeto de tese de doutorado e foi contemplado em edital público de Desenvolvimento da Ancine. Atualmente também, encontra-se em fase de pós-produção seu terceiro documentário de longa-metragem, Antártica por um ano, que vai mostrar a experiência de 15 brasileiros que permaneceram por um ano ininterrupto na estação antártica brasileira Comandante Ferraz.

Julia dirigiu recentemente outro documentário de longa-metragem, Caminho do Meio (86min./2014), em que acompanha a semana de uma família da chamada 'nova classe média' nos cinco países do BRICS - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. É responsável também pela criação do argumento e a edição do filme, além de co-dirigir uma série de televisão de 5 episódios sobre o mesmo tema, exibida na Band News (2014) e no Discovery Science (2015).

Entre seus demais trabalhos, destaca-se como diretora, roteirista e montadora do filme de ficção fantástica Rua dos Bobos (35mm/40min/2010), com distribuição da Riofilme e licenciado ao Canal Brasil e à TV Brasil. Co-diretora e montadora do documentário de longa-metragem Transcendendo Lynch (80min/2009), retrato íntimo do cineasta americano David Lynch em sua vinda ao Brasil. Diretora, roteirista e montadora do premiado curta-metragem de ficção/animação Dógui: o cão da globalização (35mm/17min/2008), ganhador de edital da Petrobras. Além desses trabalhos, Julia assina a montagem de diversos documentários, programas de televisão e trailers para o cinema.

Referências

ANDRADE, Mário de. Carta para Murilo Rubião. São Paulo, 16 junho 1943. Disponível em: < http://www.murilorubiao.com.br/ > Acesso em: 20 junho 2011.

BESSIÈRE, Iréne. “O relato fantástico: forma mista do caso e da adivinha”. 18 p. Tradução Biaggio D’Angelo. Colaboração Maria Rosa Duarte de Oliveira. Disponível em: < www.pucsp.br/revistafronteiraz/numeros_anteriores/.../traducao2.pdf > Acesso em: 20 junho 2011. A partir de « Le récit fantastique: forme mixte du cas et de la devinette ». In:__Le récit fantastique. La poétique de l’incertaine. Paris: Larousse, 1974, pp. 9-29.

BESSIÈRE, Iréne. « Todorov et le inexact partage du fantastique ». In:__Le récit fantastique. La poétique de l’incertaine. Paris: Larousse, 1974, pp. 54-59.

GIL, José. Monstros (1994). Tradução José Luís Luna. Revisão técnica Madalena Alfaia. Lisboa: Relógio D’Água, 2006.

KAFKA, Franz. A metamorfose. Tradução e posfácio Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

KAFKA, Franz. O castelo (1922). Tradução e posfácio Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

LINS, Álvaro. “Os novos”. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, 2 abril. 1948. Jornal da Crítica. Disponível em: < http://www.murilorubiao.com.br/ > Acesso em: 20 junho 2011.

RUBIÃO, Murilo. Obra completa. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

RUBIÃO, Murilo. O Pirotécnico Zacarias, e outros contos. Organização Humberto Werneck. Posfácio Jorge Schwartz. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, pp. 101-110.

RUBIÃO, Murilo. Carta para Mário de Andrade. Belo Horizonte, 23 julho 1943. Disponível em: < http://www.murilorubiao.com.br/ > Acesso em: 20 junho 2011.

SARTRE, Jean-Paul. Aminadab, ou o fantástico considerado como uma linguagem. In: Situações I. Tradução de Cristina Prado. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à Literatura Fantástica (1970). Tradução de Maria Clara Correa Castello. São Paulo: Perspectiva, Debates, 2008.

Publicado
2017-12-23
Como Citar
TEITELROIT MARTINS, J. À la Kafka ou Zacarias é. Literartes, v. 1, n. 7, p. 224-245, 23 dez. 2017.