Renascimento como metáfora para a assunção da identidade de gênero contraposta à heteronormatividade em Mulher de mim, de Mia Couto

Palavras-chave: heteronormatividade, gênero, renascimento, literatura, Moçambique

Resumo

No ensaio, é analisado o conto Mulher de mim, do escritor moçambicano Mia Couto. Narrado em primeira pessoa, o texto apresenta como personagem central uma figura masculina que, desde o início, demonstra a consciência de que passava por uma transformação, que lhe levaria a se converter na “prévia matéria” (COUTO, 1998) de que havia sido formado. Esse narrador relata receber visitas noturnas de uma mulher. A princípio, ele alude a essa mulher como sendo alguém distinto de si. Pouco a pouco, essa mulher se empodera diante do narrador, de modo que é colocada em curso a metamorfose anunciada, em forma de assunção, por esse narrador, do gênero feminino. No transcorrer do texto, é evidenciado o incômodo com a presença feminina que o visita. Trata-se da negação imposta pela ideia de heteronormatividade, que o leva a recusar a condição que se intensificava, pois é subjetivado por códigos culturais. O objetivo do ensaio é discutir o modo como, literariamente, o texto examina a construção do difícil processo para a assunção de uma identidade de gênero que se contrapõe à heteronormatividade

Biografia do Autor

Antônio Carlos Dias Mendonça, Universidade Federal do Tocantins
Possui graduação em Letras pela Universidade do Tocantins (1995), Pós graduado em Leitura e Produção Escrita pela Universidade Federal do Tocantins(2006) e Mestrando(2017-2019) pela Universidade Federal do Tocantins (Araguaína-TO) em Práticas diversificadas para o Ensino de Literatura com a orientação do Dr. Márcio Araújo de Melo. Atualmente está em licença para aperfeiçoamento profissional pela Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Tocantins como professor da Educação Básica.Possui experiência como docente (rede pública e privada de ensino) na área de Letras,com ênfase em Língua Portuguesa,Leitura e Produção Escrita,foi Coordenador Pedagógico no Colégio Santa Cruz (2013-2015),Coordenador de Linguagens e Códigos no Colégio Santa Cruz(2016-2017) e Supervisor Técnico de Qualidade Escolar na Diretoria Regional de Ensino de Araguaína (2002-2003).
Eliane Cristina Testa

Professora de Literatura Portuguesa da Universidade Federal do Tocantins (UFT), onde atua também como professora do Programa de Pós-graduação em Letras (MELL).

Referências

diversidade sexual e currículo: um estudo de caso de práticas discursivas e de (não) subjetivação no ambiente escolar. Dissertação de mestrado. Araguaína: UFT, 2011.

BERDYAEV, Nicholas, The Destiny of Man. Harper Tochbooks, Nova Iorque,1960,pp. 61-62

BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral. São Paulo: Paulus, 1990.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In:

CABAÇO, José Luis .Moçambique: identidade, colonialismo e libertação/ José Luis Cabaço, -São Paulo : Editora UNESP, 2009 360p.

COUTO, Mia. Cada homem é uma raça-estórias, Rio de janeiro: Nova Fronteira,1998

DEPARTAMENTO DE ESTADO DOS ESTADOS UNIDOS. Relatório sobre a liberdade religiosa em Moçambique – 2009. Disponível em: <https://www.state.gov/documents/organization/132927.pdf>. Acesso em: 19 dez. 2017.

GOVERNO DE MOÇAMBIQUE. A Luta pela Independência. Disponível em: <http://www.portaldogoverno.gov.mz/por/Mocambique/Historia-de-Mocambique/A-Luta-pela-Independencia>. Acesso em 19 dez. 2017.

JOHNSON, Robert A.,1921- SHE: a chave do entendimento da psicologia feminina: uma interpretação baseada no mito de Eros e Psiquê,usando conceitos psicológicos jungianos/Robert A. Jonson; tradução de Maria Helena de Oliveira Tricca. – São Paulo: Mercuryo,1987.

LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

REVISTA SER HOMEM nº1 : Entendendo as masculinidades by Bagabaga Studios

SRANFORD, John A .Os parceiros invisíveis: o masculino e o feminino dentro de cada um de nós/John A. Sanford ;(tradução I. Leal Ferreira; revisão Arthur Arruda Leal Ferreira, Ivo Storniolo).- São Paulo: Paulus,1986( Coleção amor e psique). Disponível em:

<http://www.esquerdadiario.com.br/Mulherismo-Africana-e-Feminismo-um-debate-necessario> acessado em 18/10/2017

VILA NOVA, Sebastião. Introdução à Sociologia. São Paulo: Atlas, 2009.

Publicado
2018-10-31
Como Citar
DIAS MENDONÇA, A.; TESTA, E. Renascimento como metáfora para a assunção da identidade de gênero contraposta à heteronormatividade em Mulher de mim, de Mia Couto. Literartes, v. 1, n. 9, p. 119-130, 31 out. 2018.