Os perigos da curiosidade: uma leitura de “Cachinhos Dourados e os Três Ursos” de Roald Dahl

  • Valquiria Pereira Alcantara Universidade de São Paulo
Palavras-chave: conto de fadas, literatura infantil, tradução de literatura infantil, Roald Dahl, Quentin Blake

Resumo

Ao longo do tempo, inúmeras versões dos contos de fadas foram e continuam sendo publicadas e em nosso trabalho propomos um estudo comparativo da versão dahliana de “Cachinhos Dourados e os Três Ursos” em língua inglesa com a tradução para a língua portuguesa publicada no Brasil. Nosso objetivo é observar como ambos os textos verbais dialogam com as ilustrações de Quentin Blake, pois partimos do pressuposto de que o efeito cômico está ancorado na interação entre o texto verbal e as ilustrações. Em nossa análise observamos, principalmente, as funções e relações que se estabelecem entre os textos verbal e visual descritas pela pesquisadora Sophie Van der Linden, que se dedica ao estudo do livro ilustrado, bem como os estudos de Zohar Shavit a respeito da tradução de literatura infantil. Como resultado buscamos uma melhor compreensão da articulação que se estabelece entre o texto verbal e o visual uma vez que a presença da ilustração é de suma importância no âmbito da literatura infantil.

Biografia do Autor

Valquiria Pereira Alcantara, Universidade de São Paulo

Mestre e doutoranda em Letras pela Universidade de São Paulo. Professora de língua inglesa na Faculdade de Tecnologia de São Paulo. 

Referências

AUBERT, Francis H. “Em busca das refrações na literatura brasileira traduzida- revendo a ferramenta de análise.” In: NITRINI, Sandra (org.) – Revista Literatura e Sociedade. nº 9. São Paulo: Humanitas. 2006, p. 60-69.

CHEVALIER, J. & GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos: (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números). 6ª ed., colaboração de André Barbault... [et al.]; coordenação Carlos Sussekind; tradução: Vera da Costa e Silva... [et al.], Rio de Janeiro: José Olympio, 1992.

Contos de Fadas: de Perrault, Grimm, Andersen & outros. Trad. Maria Luiza X. de A. Borges, Apres. Ana Maria Machado. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

DAHL, Roald. Revolting Rhymes. Illustrated by Quentin Blake. London: Puffin Books, 2001.

DAHL, Roald. Historinhas em versos perversos. Ilust. Quentin Blake. Trad. Luciano Vieira Machado. São Paulo: Salamandra/ Moderna, 2007.

English Fairy Tales being the two collections English Fairy Tales & More English Fairy Tales compiled and annotated by Joseph Jacobs, illustrated by Margery Gill, London: The Bodley Head, 1968.

Intermidialidade e estudos interartes: desafios da arte contemporânea. Thaïs Flores Nogueira Diniz e André Soares Vieira (org.), Belo Horizonte: Rona Editora: FALE/UFMG, 2012.

JACOBS, Joseph. English Fairy Tales. With illustrations by John Batten. London: Everyman’s Library, 1993.

JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. pref. Izidoro Blikstein; trad. Izidoro Blikstein e José Paulo Paes. São Paulo: Editora Cultrix Ltda, s/d.

LINDEN, Sophie Van der. Para ler o livro ilustrado. trad. Dorothée de Bruchard. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

ROSAS, Marta. Tradução de humor: transcriando piadas. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

SHAVIT, Zohar. Poetics of Children’s Literature. Athens/ London: University of Georgia Press, 2009 (paperback edition)

https://www.britannica.com/topic/Chippendale Acesso em 07.04.2019.

Publicado
2019-12-26
Como Citar
ALCANTARA, V. Os perigos da curiosidade: uma leitura de “Cachinhos Dourados e os Três Ursos” de Roald Dahl. Literartes, v. 1, n. 11, p. 28-56, 26 dez. 2019.