Psiquê, de Angela Lago: quando a imagem é palavra

  • Liniane Haag Brum
Palavras-chave: Psiquê, Angela-Lago, texto verbal e texto-imagem.

Resumo

Na obra Psiquê, a autora brasileira Angela Lago reconta o mito de Eros e Psiquê com a predominância da narrativa visual. Este artigo discute os aspectos gerais da forma da ilustração em correlação ao verbal; mostra, igualmente, de que modo ambos operam a poeticidade.

Biografia do Autor

Liniane Haag Brum
Liniane Haag Brum é mestre em Literatura e Crítica Literária pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da PUC/SP, docente e autora de Antes do Passado – o silêncio que vem do Araguaia (Arquipélago Editorial, 2012).

Referências

ABREU, Ana Paula Bernardes. Relações que a escrita não faz: a ilustração do

livro infantil. In: Baleia na Rede, revista eletrônica do grupo de pesquisa em

cinema e literatura. Vol. 1, n. 7, Ano VII, dezembro de 2010.

CAMARGO, Luis in http://www.unicamp.br/iel/memoria/Ensaios/poesiain-

fantilport.htm, acessado em 23/11/2013.

COELHO, Nelly Novaes Coelho. Literatura Infantil – teoria, análise, didática.

São Paulo: Moderna, 2000.

GÓES, Lúcia Pimentel. Eros e Psique. São Paulo: Paulinas, 2007.

LAGO, Angela. Psiquê. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

LINDEN, Sophie Van der. Para ler o livro ilustrado. Tradução Dorothée de

Bruchard. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

LOYOLA, Juliana Silva. Glissant, o menino Benjamin e a literatura do caos

-mundo. In: OLIVEIRA, Maria Rosa Duarte et al. (org.). Agamben, Glissant,

Zunthor – voz, pensamento, linguagem. São Paulo: Educ, 2013.

Publicado
2014-12-30
Como Citar
BRUM, L. Psiquê, de Angela Lago: quando a imagem é palavra. Literartes, n. 3, p. 51-67, 30 dez. 2014.
Edição
Seção
Artigos