A CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO FEMININO EM DOM CASMURRO, LOLITA E LA NADA COTIDIANA

  • Felipe dos Santos Matias Universidade Federal da Integração Latino-Americana
Palavras-chave: Sujeito, Feminino, Dom Casmurro, Capitu, Lolita, La nada cotidiana, Yocandra

Resumo

O presente artigo realiza uma análise acerca da representação do sujeito feminino nos romances Dom Casmurro (1899), de Machado de Assis, Lolita (1955), de Vladimir Nabokov, e La nada cotidiana (1995), de Zoé Valdés, com o intuito de detectar as práticas discursivas e socioculturais que os respectivos narradores veiculam, principalmente em relação ao gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe dos Santos Matias, Universidade Federal da Integração Latino-Americana
Professor Adjunto da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com período sanduíche (bolsa CAPES PDSE) na Universidade de Coimbra (UC), Portugal. Mestre em Letras: Estudos Literários pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Graduado em Letras Português/Literaturas de Língua Portuguesa pela mesma instituição. Tem experiência e publicações na área de Letras, com ênfase no ensino e pesquisa referentes às Literaturas em Língua Portuguesa e Português Língua Estrangeira/Adicional. Participa do Núcleo de Estudos Portugueses (NEP) - grupo de pesquisa em literaturas lusófonas.
Publicado
2017-07-18
Como Citar
Matias, F. (2017). A CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO FEMININO EM DOM CASMURRO, LOLITA E LA NADA COTIDIANA. Literatura E Sociedade, 21(23), 90-103. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i23p90-103
Seção
Ensaios