Experimentum in insula: Robinson Crusoé nas origens do aborrecimento

  • Daniel Reizinger Bonomo Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Palavras-chave: Robinson Crusoé, Teoria narrativa, Origens do romance, Aborrecimento

Resumo

O ensaio investiga em Robinson Crusoé o vínculo entre aborrecimento e entretenimento nas origens do romance mediante uma análise da economia formal entre aventura e rotina, ação e reflexão, que organiza a narrativa de Daniel Defoe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Reizinger Bonomo, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Bacharelado (2003) em Letras, Alemão/Português, pela Universidade de São Paulo (USP), mestrado (2007, bolsista Capes) e doutorado (2013, bolsista CNPq) em Língua e Literatura Alemã pela USP, com estágio na Universidade de Leipzig, Alemanha (2010-2012, CNPq/DAAD). Organizou, entre 2000 e 2008, parte dos manuscritos de João Guimarães Rosa pertencentes ao arquivo do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP, bolsista Coseas e CNPq), a correspondência do Fundo Aracy de Carvalho Guimarães Rosa (IEB, Fundação Vitae) e o acervo de documentos em posse dos herdeiros de Aracy e João Guimarães Rosa (Acervo Nonada Cultural e Acervo Família Tess). Trabalhou em 2014 e 2015 como professor substituto na Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Assis, e fez um estágio de pós-doutorado, em 2017, na Universidade Nova de Lisboa, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Atualmente é pesquisador colaborador na área de Teoria e História Literária do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas (IEL-Unicamp) e bolsista, em nível de pós-doutorado, da Fapesp.
Publicado
2018-06-05
Como Citar
Bonomo, D. (2018). Experimentum in insula: Robinson Crusoé nas origens do aborrecimento. Literatura E Sociedade, 22(25), 117-131. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i25p117-131
Seção
Dossiê