Um herói de duas faces – sobre as ambiguidades do Impostor Felix Krull

  • Mário Luiz Frungillo Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Palavras-chave: Romance de formação, Novela picaresca, Thomas Mann, Felix Krull

Resumo

O romance Confissões do Impostor Felix Krull (Bekenntnisse des Hochstaplers Felix Krull), de Thomas Mann, combina elementos do romance de formação e da novela picaresca. Essa mescla confere uma forte ambiguidade ao caráter do protagonista, que justifica suas imposturas elaborando o que poderíamos chamar de uma “teoria da permutabilidade”: numa sociedade em que os papéis sociais poderiam ser trocados sem que ninguém percebesse, a impostura deixa de ser uma transgressão para se tornar a própria regra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Luiz Frungillo, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Mário Luiz Frungillo é doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas. Foi professor da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás de 1997 a 2006. Atualmente leciona no Departamento de Teoria Literária da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Traduziu, entre outras obras, O aventuroso Simplicissimus, de Hans Jacob Christoffel von Grimmelshausen (Ed. UFPR, 1998), Effi Briest, de Theodor Fontane (Estação Liberdade, 2013), Tonio Kröger, de Thomas Mann (Companhia das Letras, 2015), Conversações com Goethe nos últimos anos de sua vida, de Johann Peter Eckermann (Edunesp, 2016) e Confissões do impostor Felix Krull, de Thomas Mann (Companhia das Letras, 2018).

Como Citar
Frungillo, M. (1). Um herói de duas faces – sobre as ambiguidades do Impostor Felix Krull. Literatura E Sociedade, 23(27), 114-130. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i27p114-130
Seção
Dossiê