Entre o Oriente e o Ocidente: a problemática do duplo no romance Les Désorientés, de Amin Maalouf

  • Sheila Katiane Staudt Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS)
Palavras-chave: Duplo, Desorientação, Exílio, Romance francês contemporâneo

Resumo

Comparado a um Ulisses moderno, nosso herói Adam sofre os percalços de ser estrangeiro e exilado na capital francesa, além de regressar à sua terra natal – Líbano – e confrontar-se com os fantasmas do passado. O romance Les désorientés, do escritor francês Amin Maalouf, publicado em 2012, apresenta, desde o seu título, a falta de orientação, a necessidade de um norte por parte das personagens. A escrita dupla do texto vai ao encontro das personagens que orbitam nosso protagonista, por vezes, reflexos invertidos de si mesmas. Buscar os rastros do duplo na trajetória de nosso narrador-personagem Adam é o que pretendemos nesse trabalho, bem como entender os diversos (re)encontros vividos por ele ao longo da travessia. Autoconhecimento, aprendizagem, alteridade são apenas algumas das experiências por que passa nosso herói que migra do Oriente ao Ocidente (e vice-versa) tentando, quiçá, encontrar a si mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Katiane Staudt, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS)

Professora em regime de dedicação exclusiva no IFRS Campus Canoas e pós-doutora pela Université Sorbonne Nouvelle Paris 3 (2017-2018).

Publicado
2018-12-06
Como Citar
Staudt, S. (2018). Entre o Oriente e o Ocidente: a problemática do duplo no romance Les Désorientés, de Amin Maalouf. Literatura E Sociedade, 23(28), 284-297. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i28p284-297
Seção
Ensaios