O avesso do mito: escravidão e relações de dependência em O Guarani

  • Leonardo Affonso de Miranda Pereira Pontifícia Universidade Católica RJ (PUC-RJ)
Palavras-chave: José de Alencar, romantismo, escravidão, identidade nacional

Resumo

O romance O Guarani, publicado em 1857 por José de Alencar, constitui um poderoso mito inaugural da nacionalidade. No momento em que escrevia, no entanto, Alencar acompanhava os dilemas e debates sobre uma questão aparentemente ausente da trama: a escravidão, que constituía então o nexo fundamental da sociedade brasileira. Entender o modo pelo qual a reflexão sobre o tema se apresenta no romance é o objetivo deste artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Affonso de Miranda Pereira, Pontifícia Universidade Católica RJ (PUC-RJ)

Leonardo Affonso de Miranda Pereira é professor associado do Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1991), com Mestrado (1994) e Doutorado (1998) em História Social pela mesma universidade. Atua na área de História do Brasil, em especial do Segundo Reinado e da Primeira República. Seus interesses de investigação se voltam para os processos de conexão e embate cultural entre diferentes grupos sociais — com ênfase no associativismo recreativo dos trabalhadores, na produção de literatos e homens de jornal e na constituição social dos símbolos da nacionalidade.

Publicado
2019-09-19
Como Citar
Pereira, L. (2019). O avesso do mito: escravidão e relações de dependência em O Guarani. Literatura E Sociedade, 24(29), 182-203. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i29p182-203
Seção
Ensaios