Percurso histórico-estético da ideia de formação

  • Salete de Almeida Cara Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: Formação, Estruturação formal, Golpe de 1964, Percurso crítico

Resumo

Este texto pretende examinar algumas linhas de força de Formação da Literatura Brasileira no percurso crítico de verificação do andamento da nossa formação histórico-social e análises do modo de estruturação estética dessa experiência, a partir do próprio tempo do crítico Antonio Candido. Nesse percurso, o golpe de 1964 é decisivo, como se pode observar a partir de textos dos anos de 1970 até sua reflexão sobre a acumulação da “tragédia moderna” (Raymond Williams), em O discurso e a cidade, chegando a um depoimento de 2008.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Salete de Almeida Cara, Universidade de São Paulo (USP)

Salete de Almeida Cara é professora livre-docente da Universidade de São Paulo. Atuou como consultora ad hoc do CNPq, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e é membro do comitê editorial de revistas especializadas da área. Suas pesquisas e publicações mais recentes, com ênfase em Literatura Comparada, se dão em torno dos seguintes temas (e respectivos autores): o romance naturalista francês, a crítica literária e o romance naturalista brasileiro, crítica e romance nos séculos XX e XXI.

Referências

ARANTES, Paulo Eduardo, “Providências de um crítico na periferia do capitalismo. In: ARANTES, Otilia Beatriz Fiori e ARANTES, Paulo Eduardo. Sentido da Formação. São Paulo: Paz e terra. 1997.

ARANTES, Paulo Eduardo. “Ajuste intelectual”. In: HADDAD, Fernando (org.). Desorganizando o consenso. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo; Ed. Vozes, 1988.

ARANTES, Paulo Eduardo. “1964”. In: O novo tempo do mundo. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014.

ARANTES, Paulo Eduardo. “Uma educação pela espera”. In: FONSECA, Maria Augusta e SCHWARZ, Roberto (orgs.). Antonio Candido 100 anos. São Paulo: Ed. 34, 2018.

ARAÚJO, Homero Vizeu. “Notas sobre a nova narrativa: experimentalismo na narrativa e impasses do narrador romanesco sob o regime autoritário”. In: Futuro pifado na Literatura Brasileira. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2014.

CANDIDO, Antonio. Vários escritos. São Paulo: Duas cidades, 1995 (3ª ed.).

CANDIDO, Antonio. Textos de intervenção, seleção, apresentação e notas de Vinicius Dantas. São Paulo: Duas Cidades/Ed. 34, 2002.

CANDIDO, Antonio. A Educação pela noite. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006 (5ª ed.).

CANDIDO, Antonio. O observador literário. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2008 (4ª ed.).

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2009 (12ª ed.).

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2010a (11ª ed.).

CANDIDO, Antonio. O discurso e a cidade. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2010b (4ª ed.).

CANDIDO, Antonio. “Na noite enxovalhada’. In: Revista Remate de Males n. 19. Campinas: Ed. Unicamp, 2012.

CANDIDO, Antonio. “Prefácio a Cartas de um piloto de caça: o treinamento e o combate de 1943-1945. In: PIRES, Eloisa Rocha (org.). Idem. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2012.

CANDIDO, Antonio. Na sala de aula. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2017 (9ª ed.).

COSTA, Iná Camargo. “Tragédia no século XX”, prefácio a Raymond Williams, Tragédia moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

DARDOT, Pierre e LAVAL, Christian. La nouvelle raison du monde (essai sur la société néolibérale). Paris: La Découverte; Poche, 2010.

OTSUKA, Edu Teruki. “Romance e expectativa: Antonio Candido e o romance brasileiro antes de Formação da Literatura Brasileira”. In: FONSECA, Maria Augusta e SCHWARZ, Roberto (orgs.). Antonio Candido 100 anos. São Paulo: Ed. 34, 2018.

SCHWARZ, Roberto. Que horas são? São Paulo: Companhia das letras, 1987.

SCHWARZ, Roberto. Duas meninas. São Paulo: Companhia das letras, 1997.

SCHWARZ, Roberto. Sequências Brasileiras. São Paulo: Companhia das letras, 2014 (2ª ed.).

SCHWARZ, Roberto. Seja como for. São Paulo: Duas cidades; Ed. 34, 2019.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia moderna. Trad. Betina Bischof. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

Publicado
2019-12-06
Como Citar
Cara, S. (2019). Percurso histórico-estético da ideia de formação. Literatura E Sociedade, 24(30), 40-55. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i30p40-55