Do dois ao três em João Cabral

Autores

  • Ariovaldo Vidal Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i30p193-221

Palavras-chave:

Antonio Candido, A passagem do dois ao três, João Cabral de Melo Neto, A educação pela pedra

Resumo

Em sua primeira parte, o ensaio descreve brevemente a resenha que Antonio Candido dedicou ao livro de estreia de João Cabral de Melo Neto, Pedra do sono (1942), publicada no ano seguinte com o título de “Poesia ao Norte”, e recolhida hoje no livro Textos de intervenção (2002), mostrando a admiração mútua entre poeta e crí-tico. Na parte central, o ensaio procura analisar o poema de João Cabral “Duas das festas da morte”, do livro A educação pela pedra (1966), a partir do ensaio de Antonio Candido “A passagem do dois ao três” (1974), recolhido também no livro citado, mostrando a possibilidade de leitura de um movimento dialético entre as duas estrofes do poema. E na parte final, um breve comentário ao poema que dá título ao livro de Cabral, comentado no mesmo sentido do anterior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ariovaldo Vidal, Universidade de São Paulo (USP)

Ariovaldo Vidal é professor doutor do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo. Publicou os livros Roteiro para um narrador (2000), Leniza & Elis (2002) em parceria, e Atando as pontas da vida (no prelo). Trabalha com a prosa brasileira moderna, a poesia brasileira do mesmo período, bem como com as relações entre literatura e cinema, procurando compreender a poética do autor em suas implicações com a tradição literária e a matéria social.

Downloads

Publicado

2020-03-13

Como Citar

Vidal, A. (2020). Do dois ao três em João Cabral. Literatura E Sociedade, 24(30), 193-221. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i30p193-221