Candido: na trama das lembranças de Drummond e Murilo

Autores

  • Cleusa Rios P. Passos Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i30p172-192

Palavras-chave:

Antonio Candido, Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes, memória, crítica literária e psicanálise

Resumo

Em “Poesia e ficção autobiográfica”, Antonio Candido aborda a questão da memória em autores mineiros ao longo da história, detendo-se em Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes e Pedro Nava. A leitura aqui proposta retoma algumas de suas ideias no primeiro e no segundo, elegendo, especificamente, os livros Boitempo I e A idade do serrote, para revelar os fragmentos do vivido, apreendidos a partir de “cenas, casos e emoções”, traços específicos do passado de ambos, transfigurados e ressignificados literariamente nas duas obras. E aí entra Candido que, ao sublinhar com agudez pontos fulcrais dos textos de cada um, oferece aos leitores várias direções interpretativas, inclusive a que estabelece relações sutis com a psicanálise. É esse viés que se busca perseguir aqui.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleusa Rios P. Passos, Universidade de São Paulo (USP)

Cleusa Rios P. Passos é professora titular livre-docente do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo. É autora dos livros As armadilhas do Saber. Relações entre Literatura e Psicanálise (2009), Guimarães Rosa: do feminino e suas estórias (2000), Confluências crítica literária e Psicanálise (1995) e O outro modo de mirar. Uma leitura dos contos de Julio Cortázar (1986).

Downloads

Publicado

2020-03-13

Como Citar

Passos, C. R. P. (2020). Candido: na trama das lembranças de Drummond e Murilo. Literatura E Sociedade, 24(30), 172-192. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i30p172-192