[1]
J. Brandão, “Oralidade, escrita e literatura: Havelock e os grego”s, Lit. Soc., vol. 2, nº 2, p. 222-231, dez. 1997.