Pêndulo entre negatividade e utopia no Poeta en Nueva York de García Lorca

  • Marcelo Freitas Ferreira de Oliveira Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Negatividade, utopia, Poeta en Nueva York, García Lorca

Resumo

Este trabalho busca explorar o movimento pendular entre deflagração de uma realidade distópica e alusão a um mundo utópico existente em grande parte dos poemas do livro Poeta en Nueva York de García Lorca. Parte-se da contextualização histórica da obra e de uma explanação acerca de sua organização externa em seções - a qual poderia sugerir uma espécie de crônica da viagem do poeta pelos Estados Unidos -, para em seguida ingressar numa breve análise de determinados poemas, de modo a explicitar o seu caráter eminetemente lírico, na medida em que os dramas individuais do sujeito poético e os dramas da coletividade, simbolizados pela cidade de Nova York, se mostram fundidos ao longo da coletânea.

Biografia do Autor

Marcelo Freitas Ferreira de Oliveira, Universidade de São Paulo
Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela FFLCH-USP.
Publicado
2015-02-13
Seção
Ensaios