Contra o conexionismo abstrato: réplica a André Lemos

  • Francisco Rüdiger Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social

Abstract

André Lemos atacou em número anterior desta revista as pretensões epistêmicas do pensamento crítico a respeito da técnica e da cibercultura, acusando-o de essencialista. O presente artigo contesta esse juízo, chamando atenção para três tipos de problemas. O primeiro é a carência de erudição e a falta de um entendimento mais profundo e esclarecido acerca do que é próprio da razão crítica. O segundo é a contradição performativa que o artigo incide ao jogar contra a crítica a linha de raciocínio à qual se opõe em vez da que preconiza. O terceiro é o endosso acrítico de uma corrente de ideias que, separando-se da prática de pesquisa que pode desenvolver, promove abstratamente um hiperempirismo de pouco alcance epistêmico

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Francisco Rüdiger, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social
Doutor em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, leciona na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Também é professor nos Departamentos de Filosofia e de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Published
2015-12-07
How to Cite
Rüdiger, F. (2015). Contra o conexionismo abstrato: réplica a André Lemos. MATRIZes, 9(2), 127-142. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v9i2p127-142
Section
Dossier