O consumidor como agente no neoliberalismo

Autores

  • Julio Cesár Lemes de Castro Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Comunicação

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v9i2p273-288

Palavras-chave:

Neoliberalismo, consumidor, cumplicidade, participação, empreendedorismo

Resumo

O discurso neoliberal, que se torna prevalente nas últimas décadas, destaca o papel ativo do consumidor. A agência do consumidor está associada a diversos fatores: retórica publicitária que enfatiza a cumplicidade com ele; tecnologias de si através das quais ele atua como empreendedor de si mesmo; mecanismos interativos que sugerem um aumento de sua participação; apelo à responsabilidade social em suas atitudes. Quando analisamos de perto cada um desses fatores, contudo, o suposto empoderamento do consumidor na contemporaneidade revela suas limitações

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Cesár Lemes de Castro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Comunicação

Pesquisador de pós-doutorado na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com bolsa do CNPq. Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP), com mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pós-doutorado em Psicologia Social no Instituto de Psicologia da USP

Publicado

2015-12-07

Como Citar

Castro, J. C. L. de. (2015). O consumidor como agente no neoliberalismo. MATRIZes, 9(2), 273-288. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v9i2p273-288

Edição

Seção

Em Pauta/Agenda