Clean perversion in consumer culture

Keywords: psychoanalysis; perversion; communicational capitalism; consumer culture; drives.

Abstract

Contemporary culture is a perverse assembly, as it seeks to liberate the selfish subject to the world of the sensitive and the drive. In the 20th century an increasing liberation of the drives occurred, connecting the neurotic consumer and the puritan perverse. The perversion is sought, but remaining clean, demanding strong musical beatings and varied substances varying between the postmodern neurotic consumer and the puritan perverse to this end. The result is a society in which everyone internalizes the law of the market to satisfy the drives, disconnecting the subject function. To understand the transformations of communication culture of the perverse city, a psychoanalytic theory of the drives and passions is necessary.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Chemama, R. (1995). Dicionário de Psicanálise. Porto Alegre, RS: Larousse;
Artes Médicas.
Dardot, P., & Laval, C. (2016). A nova razão do mundo: Ensaio sobre a sociedade
neoliberal. São Paulo, SP: Boitempo.
Dufour, D. R. (2013). A cidade perversa. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira.
Dunker, C. I. L. (2017). Reinvenção da intimidade: Políticas do sofrimento cotidiano.
São Paulo, SP: Ubu.
Fontenelle, I. (2004). Mídia, acesso e mercado da experiência. Contracampo,
(10/11), 185-200. doi: 10.22409/contracampo.v0i10/11.537
Fontenelle, I. (2017). Cultura do consumo: Fundamentos e formas contemporâ-
neas. São Paulo, SP: FGV.
Freire Filho, J. (Org.). (2010). Ser feliz hoje: Reflexões sobre o imperativo da
felicidade. Rio de Janeiro, RJ: FGV.
Freire Filho, J., & Pinto Coelho, M. G. (Org.). (2011). A promoção do capital
humano. Porto Alegre, RS: Sulina.
Julien, P. (2003). Psicose, perversão, neurose: A leitura de Jacques Lacan. Rio de
Janeiro, RJ: Cia de Freud.
Lacan, J. (1985). O Seminário, livro 20: Mais, ainda. Rio de Janeiro, RJ: Zahar.
Laplanche, J., & Pontalis, J. B. (1992). Vocabulário de psicanálise. São Paulo, SP:
Martins Fontes.
Lebrun, J. P. (2008). A perversão comum: Viver juntos sem Outro. Rio de Janeiro,
RJ: Cia de Freud.
McGowan, T. (2016). Capitalism and desire: The psychic cost of free markets.
New York, NY: Columbia University Press.
Melman, C. (2003). O homem sem gravidade: Gozar a qualquer preço. Rio de
Janeiro, RJ: Cia de Freud.
Moreira, J. O., & Rosário, A. B. (2012). Culpa e narcisismo na tragédia moderna.
Analytica, 1(1), 73-89. Recuperado de https://bit.ly/2Z11cXG.
Pezzotti, R. (2018). Convocações midiáticas para uma biossociabilidade do consumo:
Sentidos atribuídos ao corpo na corrida de obstáculos Bravus Race. (Dissertação
de mestrado). Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, SP.
Prado, J. L. A. (2008). A invenção do Mesmo e do Outro na mídia semanal [DVD].
São Paulo, SP: PUC-SP.
Prado, J. L. A. (2011). Regime de visibilidade em revistas [DVD]. São Paulo, SP:
PUC-SP.
Prado, J. L. A. (2013). Convocações biopolíticas dos dispositivos comunicacionais.
São Paulo, SP: Educ.
Prado, J. L. A. (2015a). Da convocação da alma gêmea ao acontecimento amoroso.
In A. Pinheiro, & C. Salles, Jornalismo expandido: Práticas, sujeitos e
relatos entrelaçados (pp. 127-145). São Paulo, SP: Intermeios.
Prado, J. L. A. (2015b). Comunicação como epistemologia do sul: Do reconhecimento
à emergência do acontecimento. Matrizes, 9(2), 109-125. doi:
10.11606/issn.1982-8160.v9.i2p.109-125.
Prado, J. L. A. (2016a). Afetos em confronto: Quem vai para a rua? In Seminário
Afetos. Rio de Janeiro, RJ.
Prado, J. L. A. (2016b). Comunicação e reinvenção acontecimental da política.
In E. Jesus (Org.), Reinvenção comunicacional da política (pp. 15-30).
Brasília, DF: Compós.
Prado, J. L. A. (2018). Polarização e insatisfação midiatizadas no capitalismo
comunicacional: como manter a democracia. In Ciseco 2018, Jarapatinga, AL.
Prado, J. L. A., & Cazeloto, E. As tecnologias digitais num futuro despotencializado.
In Prado, J. L. A., & Prates, V. (2017). Sintoma e fantasia no capitalismo
comunicacional (pp. 105-129). São Paulo, SP: Estação das Letras e Cores.
Prado, J. L. A., & Prates, V. (2017a). O significante “povo brasileiro” na crise
política do impeachment de Dilma Rousseff. In Conferência Internacional
Patologias e Disfunções da Democracia, Covilhã, PBB.
Prado, J. L. A., & Prates, V. (Org.). (2017b). Sintoma e fantasia no capitalismo
comunicacional. São Paulo, SP: Estação das Letras e Cores.
Prado, J. L. A., & Prates, V. (2019). O afastamento de Dilma Roussef: afetos e
discursos em disputa na política. Famecos, (no prelo).
Viana, S. (2012). Rituais de sofrimento. São Paulo, SP: Boitempo.
Zilberberg, C. (2011). Elementos de semiótica tensiva. São Paulo, SP: Ateliê
Published
2019-04-30
How to Cite
Prado, J. L. (2019). Clean perversion in consumer culture. MATRIZes, 13(1), 49-70. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v13i1p49-70
Section
Dossier