Estudos de software televisuais:

uma extensão dos estudos de produção

Palavras-chave: Processo de engenharia de software, gerenciamento de projetos e pessoas, múltiplas telas, práticas de produção de TV, apps

Resumo

Este artigo brevemente apresenta a necessidade potencial de desenvolver uma extensão para os estudos de produção (intitulada aqui como estudos de software televisuais). Tal extensão engloba processos relacionados à gestão, integração e sincronização de desenvolvimento de software, que seriam executados por produtores de TV durante a produção dos programas televisivos para posterior fornecimento de companion apps pelas emissoras para sincronização de anúncios publicitários entre telas. É argumentado que, apesar de a alternativa complexificar a produção de TV, ela pode também minimizar o risco de que a distração da audiência durante suas materializações de experiências de múltiplas telas promova uma redução no patrocínio dos programas de TV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Marquioni, Universidade Tuiuti do Paraná

Professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná.

Referências

Alvarez-Monzoncillo, J. M. (2011). Watching the internet: The future of TV? Lisboa, Portugal: Media XXI.

Anderson, B. (1991). Imagined communities: Reflections on the origin and spread of nationalism. Londres, Inglaterra: Verso.

Blake, J. (2017). Television and the second screen: Interactive TV in the age of social participation. Londres, Inglaterra: Routledge Taylor and Francis Group.

Carneiro, R. G. (2012). Publicidade na TV digital: Um mercado em transformação. São Paulo, SP: Aleph.

Chrissis, M. B., Konrad, M., & Shrum, S. (2010). CMMI for Development: Guidelines for process integration and product improvement. Boston, MA: Addison-Wesley.

Colletti, G., & Materia, A. (2012). Social TV: Guida ala nuova TV nell’era di Facebook e Twitter. Milão, Itália: Gruppo 24 Ore.

Douglas, P. (2015). Future of television: Your guide to creating TV in the new world. Studio City, CA: Michael Wiese Productions.

Gillezeau, M., & Saunders, E. (2013). Hands on: All media producing (advice and experiences). Sydney, Austrália: Firelight Productions.

Gray, J., & Lotz, A. D. (2012). Television studies. Cambridge, Inglaterra: Polity Press.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2015). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Acesso à internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal: 2013. Rio de Janeiro, RJ: IBGE. Recuperado de https://bit.ly/2SiJOvP

Jacobson, I., Booch, G., & Rumbaugh, J. (1999). The Unified software development process: The complete guide to the Unified Process from the original designers. Boston, MA: Addison-Wesley.

Lotz, A. D. (2009). Industry-level studies and the contributions of Gitlin’s Inside Prime Time. In V. Mayer, M. J. Banks, & J. T. Caldwell (Eds.), Production studies: Cultural studies of media industries (pp. 25-38). Nova York, NY: Routledge.

Mann, D. (2009). It’s not TV, it’s brand management TV: the collective author(s) of the Lost franchise. In V. Mayer, M. J. Banks, & J. T. Caldwell (Eds.), Production studies: Cultural studies of media industries (pp. 99-114). Nova York, NY: Routledge.

Marquioni, C. E. (2016). Programas jornalísticos na TV aberta brasileira: Entre atualizações da experiência televisual e a manutenção de antigos contratos de leitura. Jundiaí, SP: Paco Editorial.

Marquioni, C. E. (2017a). A experiência de segunda tela e o modelo de negócios suportado por publicidade: A sincronização de anúncios entre telas (o caso brasileiro de SuperStar). Intercom, 40(3), 129-150. doi: https://doi.org/10.1590/1809-5844201738

Marquioni, C. E. (2017b). Apontamentos para integração e sincronização entre a produção de TV e o desenvolvimento de software: A experiência de segunda tela e o desenvolvimento de apps. Revista GEMInIS, 8(3), 44-67. Recuperado de https://bit.ly/35VF0lH

Marquioni, C. E. (2018a). Da produção de TV após o desenvolvimento e fornecimento de apps pelas emissoras: Com múltiplas telas vêm múltiplas redefinições operacionais. Trabalho apresentado no 41º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Joinville, SC. Recuperado de https://bit.ly/2TiKAJV

Marquioni, C. E. (2018b). Sobre preparação cultural, atenção e distração nos modos de assistir TV: Uma análise do caso da experiência de múltiplas telas. Conexão, 17(33), 39-59. Recuperado de https://bit.ly/35Yux95

Marquioni, C. E. (2019a). A experiência de múltiplas telas e o modelo de negócios de venda de audiências: Apontamentos para repensar a publicidade no ecossistema de TV reconfigurado. In R. Cunha & T. Burgos (Orgs.), Interfaces contemporâneas no ecossistema midiático (pp. 62-74). Lisboa, Portugal: Ria Editorial.

Marquioni, C. E. (2019b). On software and television: Analyzing a minimal process for software requirements specification by TV broadcasters. Estudos em Comunicação, (29), 53-64. doi: https://doi.org/10.25768/fal.ec.n29.a04

Marx, K. (2010). Economic & philosophic manuscripts of 1844. Recuperado de https://bit.ly/2R6uT7i

Mayer, V. (2009). Bringing the social back in: Studies of production cultures and social theory. In V. Mayer, M. J. Banks, & J. T. Caldwell (Eds.), Production studies: Cultural studies of media industries (pp. 15-24). Nova York, NY: Routledge.

Mayer, V., Banks, M. J., & Caldwell, J. T. (2009). Production studies: Cultural studies of media industries. Nova York, NY: Routledge.

Pressman, R., & Maxim, B. R. (2015). Software engineering: A practitioner’s approach. Nova York, NY: McGraw-Hill.

Project Management Institute. (2013). A guide to the Project Management Body of Knowledge: PMBOK Guide (5a ed.). Newtown Square, PA: PMI.

Proulx, M., & Shepatin, S. (2012). Social TV: How marketers can reach and engage audiences by connecting television to the web, social media, and mobile. Hoboken, NJ: John Wiley & Sons. Savage, C. M. (1996). Fifth generation management. Boston, MA: Butterworth-Heinemann.

Tussey, E. (2014). Connected viewing on the second screen: The limitations of the living room. In J. Holt & K. Sanson (Eds.), Connected viewing: Selling, streaming, & sharing media in the digital era (pp. 202-216). Nova York, NY: Routledge.

Vendas de smartphones saltam 99,6% no primeiro semestre no Brasil. (2013). ComputerWorld. Recuperado de https://bit.ly/34NB4CY

Williams, R. (1989). Culture is ordinary. In R. Gable (Ed.), Resources of hope: Culture, democracy, socialism (pp. 3-18). Londres, Inglaterra: Verso.

Williams, R. (2001). The long revolution. Peterborough, Inglaterra: Broadview.

Williams, R. (2005). Television: Technology and cultural form. Padstow, Inglaterra: Routledge Classics.

Wolff, M. (2015). Television is the new television: The unexpected triumph of old media in the digital age. Nova York, NY: Portfolio/Penguin.

Publicado
2020-05-07
Como Citar
Marquioni, C. (2020). Estudos de software televisuais:. MATRIZes, 14(1), 151-171. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v14i1p151-171
Seção
Em Pauta/Agenda