Três dimensões para compreender as mediações comunicacionais do consumo na contemporaneidade

Palavras-chave: Consumo, Mediações, Semiótica, Ética, Estética, Lógica

Resumo

O artigo atualiza a reflexão teórico-metodológica em comunicação para situar os fenômenos do consumo e sua pertinência ao campo. A condição comunicativa da mediação sígnica no consumo é o ponto de partida, respaldado na semiótica de Peirce, situando estes fenômenos nas dimensões estética, ética e lógica. Busca-se observar essas interfaces nas realidades socioculturais em que tais fenômenos ocorrem. Assim, o consumo é visto como mediação comunicacional que articularia instâncias das dinâmicas socioculturais, baseado no mapa das mediações. Tal modelo é discutido em suas intermedialidades implicadas à dinâmica interacional das mercadorias com os consumidores para a constituição de vínculos de sentidos na vida cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clotilde Perez, Universidade de São Paulo

Professora titular do PPGCOM/USP. Líder do Grupo de Estudos Semióticos em Comunicação, Cultura e Consumo (GESC3).

Eneus Trindade, Universidade de São Paulo

Professor Associado-LivreDocente do PPGCOM/USP. Líder do Grupo de Estudos Semióticos em Comunicação, Cultura e Consumo (GESC3)

Referências

Aaker, D. (2007). Construindo marcas fortes. Porto Alegre, RS: Bookman.

Batey, M. (2010). O significado da marca. Rio de Janeiro, RJ: Best Business.

Chevalier, M., & Mazzalovo, G. (2007). Pró logo: Marcas como fator de progresso. São Paulo, SP: Panda.

Ferrara, L. (2016). A outra caixa de Pandora. MATRIZes, 10(2), 61-74. doi: 10.11606/issn.1982-8160.v10i2p61-74

Gobé, M. (2002). A emoção das marcas. Rio de Janeiro, RJ: Campus.

Holt, D. (2005). A marca ícone. São Paulo, SP: Cultrix.

Jenkins, H., Ford, S., & Green, J. (2013). Spreadable media. Nova York, NY: New York University Press.

Keller, K. L., & Machado, M. (2006). Gestão estratégica de marcas. São Paulo, SP: Person Prentice Hall.

Klein, N. (2000). No logo. Milão, Itália: Baldini e Castoldi.

Kotler, P., & Lee, N. (2010). Marketing contra a pobreza. Porto Alegre, RS: Bookman.

Lindstrom, M. (2007). Brandsense: A marca multissensorial. Porto Alegre, RS: Bookman.

Lipovetsky, G., & Serroy, J. (2015). A estetização do mundo: Viver na era do capitalismo artista. São Paulo, SP: Companhia das Letras.

Lopes, M. I. V. (2018a). A teoria barberiana da comunicação. MATRIZes, 12(1), 39-63. doi: 10.11606/issn.1982-8160.v12i1p39-63

Lopes, M. I. V. (2018b). Jesús Martín-Barbero e os mapas essen ciais para compreender a comunicação. InTexto, (43), 14-23. doi: 10.19132/1807-8583201843.14-23

Martín-Barbero. J. (2001). Dos meios às mediações: Comunicação, cultura e hegemonia (2ª ed.). Rio de Janeiro, RJ: Editora UFRJ.

Marx, K. (2017). O capital – livro 1 (2ª ed.). São Paulo, SP: Boitempo.

McCracken, G. (2003). Cultura & consumo. Rio de Janeiro, RJ: Mauad.

Nöth, W. (1995). Panorama da semiótica: De Platão a Peirce. São Paulo, SP: Annablume.

Peirce, C. S. (1995). Semiótica. São Paulo, SP: Perspectiva.

Perez, C. (2016, setembro). Ecossistema publicitário: O crescimento sígnico da publicidade. Anais do Intercom, São Paulo, 29, 1-12. Recuperado de http://bit.ly/2oIyc9e

Perez, C. (2017). Signos da marca: Expressividade e sensorialidade (2ª ed.). São Paulo, SP: Cengage.

Perez, C. (2018). Estéticas do consumo a partir do ecossistema publicitário. Revista Observatório, 4(5), 788-812. doi: 10.20873/uft.2447-4266.2018v4n5p788

Perez, C., & Barbosa, I. (Orgs.). (2007). Hiperpublicidade 1: Fundamentos e teorias. São Paulo, SP: Thomson Learning.

Perez, C., & Trindade, E. (2014). Marketing e tendências de consumo. In C. Brito & P. Lencastre (Orgs.), Novos horizontes do marketing (pp. 94-106). Porto, Portugal: Dom Quixote.

Perez, C., & Trindade, E. (2016). Para pensar as dimensões do consumo midiatizado: teoria, metodologia e aspectos empíricos. Contemporânea, 14(3), 385-397. doi: 10.9771/1809-9386contemporanea.v14i3.13485

Pondé, L. F. (2017). Marketing existencial. São Paulo, SP: Três Estrelas.

Rocha, E., & Pereira, C. (Orgs.). (2013). Cultura e imaginação publicitária. Rio de Janeiro, RJ: Mauad/PUC Rio. Santaella, L. (1983). O que é semiótica. São Paulo, SP: Brasiliense.

Santaella, L. (1992). A assinatura das coisas. Rio de Janeiro, RJ: Imago

Santaella, L. (2000). Estética de Platão a Peirce. São Paulo, SP: Experimento.

Semprini, A. (2006). A marca pós-moderna. São Paulo, SP: Estação das Letras.

Sodré, M. (2014). A ciência do comum: Notas para o método comunicacional. Petrópolis, RJ: Vozes.

Trindade, E. (2016). Mediaciones y mediatización del consumo: una nueva perspectiva para los estudios sobre el fenómeno publicitário (Epílogo). In P. Hellìn Ortuño, & C. S. Nicolàs Romera, El discurso publicitário: Bases simbólicas, semióticas y mitoanalíticas (pp. 222-231). Salamanca, Espanha: Comunicación Social Ediciones y Publicaciones by Pedro J. Crespo.

Trindade, E., & Perez, C. (2013). Aspectos dos vínculos de sentidos do consumo alimentar em São Paulo: difusão publicitária e megatendências. Intercom, 36(2), 245-266. Recuperado de http://bit.ly/2nYeiat

Trindade, E., & Perez, C. (2016a). Para pensar as dimensões do consumo midiatizado: teoria, metodologia e aspectos empíricos. Contemporânea, 14(3), 385-397. Recuperado de http://bit.ly/2oJmhbh

Trindade, E., & Perez, C. (2016b). Consumo midiáticos e consumo midiatizado: aproximações e diferenças. Uma contribuição teórico-metodológica. In C. K. Luvizotto, C. J. Losnak, & D. Rothberg (Orgs.), Mídia e sociedade em transformação (pp. 13-27). São Paulo, SP: Cultura Acadêmica.

Tybout, A., & Calkins, T. (Orgs.). (2006). Branding. São Paulo, SP: Atlas.

Publicado
2019-12-28
Como Citar
Perez, C., & Trindade, E. (2019). Três dimensões para compreender as mediações comunicacionais do consumo na contemporaneidade. MATRIZes, 13(3), 109-126. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v13i3p109-126
Seção
Dossiê