Para ler Mattelart/Dorfman, 50 anos depois

Mas... E os quadrinhos?

Autores

Palavras-chave:

Armand Mattelart, Ariel Dorfman, quadrinhos Disney, Chile

Resumo

O presente texto revisita o livro Para Ler o Pato Donald, publicado em 1971, e um dos títulos fundamentais para iniciar a consolidação do nome de Armand Mattelart (junto com Ariel Dorfman, coautor) no Brasil como teórico da Comunicação, bem como seus comentários e entrevistas posteriores à obra. Num momento posterior, indagamos sobre essa (falta de) percepção dos quadrinhos como uma espécie de “não objeto” de pesquisa, obscurecidos que ficaram sob a ótica do “imperialismo cultural”, sob três aspectos: a descentralização da produção Disney; o problema da tradução; e a ausência de informações sobre a produção de quadrinhos no Chile.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Jorge de Lucena Lucas, Universidade Federal do Ceará

Professor do curso de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA-UFC). Orcid: https://orcid.org/0000-0002-6801-4797. E-mail: ricardojorge@ufc.br

Referências

Abrahão Júnior, W. (2016). Lendo Tio Patinhas pelas lentes de seus críticos: Carl Barks, agente imperialista? Revista Temporis[ação], 16(2), 426-440. https://bit.ly/37nSqrT

Abrahão Júnior, W. (2017). Quadrinhos e ensino de história: o mundo sob a perspectiva de Carl Barks, “o homem dos patos” [Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Goiás]. Repositório da UFG. https://bit.ly/3fSiMG4

Assis, E. (2017, 25 de setembro). Para ler os Donalds. Blog da Companhia. https://bit.ly/3qbdEla

Barks, C. (2011). Walt Disney’s Donald Duck: Lost in the Andes. Fantagraphics Books.

Berger, C. (2001). A pesquisa em comunicação na América Latina. In A. Hohlfeldt, L. C. Martino, & V. V. França (Orgs.), Teorias da comunicação: Conceitos, escolas e tendências (pp. 241-277). Vozes.

Cáceres, L. J. G., Cárdenas, T. K., & García, M. R. (2005). Cien libros hacia una comunicología posible: Ensayos, reseñas y sistemas de información. UACM.

Dorfman, A., & Mattelart, A. (1972). Come leggere Paperino: Ideologia e politica nel mondo di Disney. Feltrinelli.

Dorfman, A., & Mattelart, A. (1979). Para leer al pato Donald: Comunicación de masa y colonialismo (18a ed.). Siglo XXI.

Dorfman, A., & Mattelart, A. (1991). How to read Donald Duck: Imperialist ideology in the Disney comic (3rd ed.). International General.

Dorfman, A. & Mattelart, A. (2002). Para ler o Pato Donald: Comunicação de massa e colonialismo (5a ed.). Paz e Terra. (Obra original publicada em 1971)

Gomes, I. L. (2011, 28-30 de abril). Anotações preliminares sobre mídia e quadrinhos no Chile (anos 1960-1973) [Artigo apresentado]. VIII Encontro Nacional de História da Mídia, Guarapuava, PR, Brasil. https://bit.ly/36oYz7X

Hay, J., Harsin, J., Cohen, J., & Mattelart, A. (2013). Interview with Armand Mattelart. Communication and Critical/Cultural Studies, 10(1), 34-49. http://dx.doi.org/10.1080/14791420.2013.765690

Jofré, M. A. (1986). Publicaciones infantiles y revistas de historietas en Chile, 1895-1973. Ceneca, (80), 133 p. https://bit.ly/2VdgPdY

Kunzle, D. (1991). Introduction. In A. Mattelart & A. Dorfman, How to read Donald Duck: Imperialist ideology in the Disney comic (3rd ed., pp. 11-24). International General.

Kunzle, D. (2012). The parts that got left out of the Donald Duck Book, or: How Karl Marx prevailed over Carl Barks. ImageTexT: Interdisciplinary Comics Studies, 6(2). https://bit.ly/37pXAng

Leite Neto, A. (2001, 4 de dezembro). Para (re)ler o Pato Donald. Folha de S.Paulo. https://bit.ly/3o2Gr9y

Maingueneau, D. (2010). Doze conceitos em análise do discurso. Parábola.

Maldonado, E (1999). Teorias críticas da comunicação: O pensamento de Armand. Intexto, 2(6), 1-23. https://bit.ly/2VeNgse

Martins, J. S. (1978). Sobre o modo capitalista de pensar. Hucitec.

Mattelart, A., & Mattelart, M. (1997). Histoire des théories de la communication. La Découverte.

Mattelart, A., & Mattelart, M. (2004). Pensar as mídias. Loyola. (Obra original publicada em 1986)

Mattelart, A., & Neveu, É. (2004). Introdução aos estudos culturais. Parábola.

Mattelart, A., & Sénécal, M. (2008). Dans l’œil de la communication-monde. Médiamorphoses, (24), 5-32. https://bit.ly/33sW4PW

Moya, A. (2002). Prefácio à edição brasileira. In A. Mattelart & A. Dorfman, Para ler o Pato Donald: Comunicação de massa e colonialismo (5a ed., pp. 7-11). Paz e Terra.

Muanis, F. (2018). Regimes de visibilidade nos quadrinhos documentais autobiográficos. In R. L. Soares & G. Silva (Orgs.), Emergências periféricas em práticas midiáticas (pp. 156-183). ECA/USP. https://doi.org/10.11606/9788572052054

Ramos, P. (2009). A leitura dos quadrinhos. Contexto.

Reale, A., & Mangone, C. (1996). Entrevista con Armand Mattelart. Causas y Azares, (4), 7-23. https://bit.ly/3liA7ZN

Santos, R. E. (2002). Para reler os quadrinhos Disney: Linguagem, evolução e análise de HQs. Paulinas.

Sarmiento, G. (2013). Dorfman y Mattelart, lectores del Pato Donald. DEDiCA: Revista de Educação e Humanidades, (4), 129-143. https://bit.ly/3lgrM8Z

Schmucler, H. (1979). Donald y la política. In A. Mattelart & A. Dorfman, Para leer al Pato Donald: Comunicación de masa y colonialismo (18a ed., pp. 3-8). Siglo XXI.

Vergueiro, W., & Santos, R. E. (2014). As histórias em quadrinhos como objeto de estudo das teorias da Comunicação. In V. V. França, A. Aldé, & M. C. Ramos (Orgs.), Teorias da comunicação no Brasil (pp. 267-286). EDUFBA.

Winkin, Y. (1984). La nouvelle communication. Seuil.

Yglesias, M. P. (1985). Supertiñosa ayuda a los agachados... ¿Qué pensará Mafalda? Historiar la historieta: ¿un proyecto académico y/o político? Anuario de Estudios Centroamericanos, 11(2), 157-193. https://bit.ly/3mk02BK

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

de Lucena Lucas, R. J. (2020). Para ler Mattelart/Dorfman, 50 anos depois: Mas. E os quadrinhos?. MATRIZes, 14(3), 235-259. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/175242