As políticas públicas para o livro e a leitura no Brasil: O Instituto Nacional do Livro (1937-1967)

  • Aníbal Bragança Universidade Federal Fluminense

Resumo

Monteiro Lobato e as origens do Instituto Nacional do Livro; sua criação e funcionamento (de 1937 a 1967) no contexto do avanço dos meios de comunicação de massa. Políticas públicas do estado brasileiro para o livro, a leitura e as bibliotecas: continuidades e descontinuidades nos programas e projetos. A criação da Comissão Nacional do Livro Didático e do Conselho Nacional de Cultura. O surgimento da Câmara Brasileira do Livro. Um marco: o Terceiro Congresso de Editores e Livreiros do Brasil. A busca de uma regulamentação para o mercado do livro. Geir Campos e a Carta aos livreiros do Brasil. A Revista do Livro e as edições do INL. Realizações e fracassos até a retomada dos projetos para a área no contexto da ditadura militar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aníbal Bragança, Universidade Federal Fluminense
Doutor em Ciências da Comunicação, coordenador dos Núcleos de Pesquisa sobre Livro e História Editorial no Brasil (UFF) e Produção Editorial (Intercom), e professor da Universidade Federal Fluminense.
Publicado
2009-06-15
Como Citar
Bragança, A. (2009). As políticas públicas para o livro e a leitura no Brasil: O Instituto Nacional do Livro (1937-1967). MATRIZes, 2(2), 221-246. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v2i2p221-246
Seção
Em Pauta/Agenda