[1]
L. Tenório da Motta e R. Fontanari, “Roland Barthes em A câmara clara, o semiólogo infie”l, Matrizes, vol. 6, nº 1-2, p. 161-168, dez. 2012.