O tédio em Madame Bovary: justificativa ou condenação?

  • Grace Alves da Paixão Universidade Federal do Espírito Santo
  • Anaximandro Oliveira Santos Amorim Aliança Francesa de Vitória
Palavras-chave: Madame Bovary, Gustave Flaubert, Tédio, Telma Boudou

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo mostrar como o tédio da personagem Madame Bovary (do romance homônimo) foi a causa do escândalo e, por conseguinte, do processo judicial de Gustave Flaubert, autor do romance. Assim, propõe-se um artigo de quatro partes: uma na qual se fala do autor; uma na qual se fala da obra; uma na qual se fala do processo propriamente dito (e como a linguagem foi questão importante aí); e outra em que se analisa a questão mesma do tédio graças a passagens do romance. Para isso, adota-se uma metodologia de revisão bibliográfica, tendo como base o livro Madame Bovary no tribunal do júri: do crime ao castigo? (2011), da professora Telma Boudou.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Grace Alves da Paixão, Universidade Federal do Espírito Santo

Professora de língua e literatura francesa da Universidade Federal do Espírito Santo, Doutora em Letras-Francês, área de concentração em língua, literatura e estudos tradutológicos pela USP.

Anaximandro Oliveira Santos Amorim, Aliança Francesa de Vitória

Advogado, pós-graduado em Direito Processual Civil pela Estácio de Sá, graduando em Letras Português-Francês pela Ufes, professor da Aliança Francesa de Vitória/ES.

Referências

AUERBACH, Erich. Mimesis. Crítica. Estudos Literários. São Paulo: Perspectiva, 2004.
BOUDOU, Telma Martins. Madame Bovary no Tribunal do Júri: do crime ao castigo? Vitória: Flor&Cultura, 2005.
Correspondances années 1857. Disponível: < http://flaubert.univ-rouen.fr/correspondance/conard/outils/1857.htm >. Acesso em : 28/01/19.
FAGUET, Émile. Flaubert. Disponível: http://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k114151x.r=.langFR. Acesso em : 27/09/17.
FAGUET, Émile. Petite Histoire de la Littérature Française. Paris : Librairie Aris-tide Quillet, 1928.
FLAUBERT, Gustave. Madame Bovary. Paris : Folio, 1993.
Les Amis de Flaubert. Année 1961, bulletin nº 18, page 53. Disponível: . Acesso em: 28/01/19.
Madame Bovary mise à nu par ses critiques. Disponível: . Acesso em: 20/10/17.
Procès de Madame Bovary: plaidoire de Jules Senard. Disponível: . Acesso em : 28/01/19.
Procès de Madame Bovary: réquisitoire d'Ernest Pinard. Disponível: . Acesso em : 28/01/19.
SARTRE, Jean-Paul. O idiota da família. Gustave Flaubert de 1821 a 1857. Volume 2. Porto Alegre: LPM, 2014.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
Paixão, G. A. da, & Amorim, A. O. S. (2018). O tédio em Madame Bovary: justificativa ou condenação?. Non Plus, 7(13), 45-60. https://doi.org/10.11606/issn.2316-3976.v7i13p45-60
Seção
ESTUDOS LITERÁRIOS