O aparato textual de "La Poésie du Brésil" (2012) enquanto recurso de mediação para a compreensão dos projetos antológicos e tradutório

  • Rosalia Rita Evaldt Pirolli Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Paratextos editoriais, Antologia, Tradução, Recepção, Projeto editorial, La Poésie du Brésil

Resumo

A poesia brasileira traduzida ocupa ainda uma posição extremamente periférica no sistema cultural francês. Entretanto, desde meados dos anos 2000, várias iniciativas e publicações têm sido lançadas nesse mercado editorial, dentre as quais destaca-se o volume La Poésie du Brésil – Anthologie du XVIe au XXe siècle (2012), organizado e traduzido por Max de Carvalho. Essa antologia, que segundo seu prefácio foi pensada como um volume “de vocação panorâmica”, contempla a produção de 132 poetas, entre os séculos XVI e XX. Iremos, neste artigo, analisar o aparato paratextual – notadamente a capa, o título, o press release e, principalmente, o prefácio assinado pelo antologista. Nesta análise, embasada a partir da noção de materialidade de Chartier (2014) e da teoria dos paratextos de Genette (1987), pretendemos evidenciar como tal aparato se constitui como um espaço privilegiado para apreendermos os pressupostos subjacentes ao projeto antológico, principalmente, a manifestação de certas concepções eurocêntricas ainda correntes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, R. O Brasil na França. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2008.
AUDIGIER, E. Entrevista com Max de Carvalho. Passages de Paris, Paris, n. 11, p.503-511, 2015.
BERMAN, A. Pour une critique des traductions: John Donne. Paris: Gallimard, 1995.
BISCAIA, M. Dicionário terminológico de crítica literária pós-colonial. Aveiro: Uni-versidade de Aveiro, 2008. Disponível em: . Acesso em: 08, ago., 2018.
CARVALHO, M. La poésie du Brésil: Anthologie du XVIe au XXe siècle. Tradução de Max de Carvalho. Paris: Chandeigne, 2012.
CHANDEIGNE. Prière d’insérer. In: CARVALHO, M. (Org.). La poésie du Brésil : Anthologie du XVIe au XXe siècle. Tradução de Max de Carvalho. Paris: Chandeigne, 2012.
______. Chandeigne 25 ans - Catalogue. Paris: Chandeigne, 2017.
CHARTIER, R. A mão do autor e a mente do editor. Tradução de George Schlesin-ger. Tradução de George Schlesinger. São Paulo: Editora Unesp, 2014.
DEVAUX, P. La France et le nouveau monde. Manuscrito, 1613. Localizado em: Département des Cartes et Plans, Bibliothèque Nationale de France, Paris. Disponível em: . Consultado em: 7, jun., 2018.
GENETTE, G. Seuils. Paris: Éditions du Seuil, 1987.
LE GOFF, Jaques. Monumento/Documento. In: _____. História e memória. Tradu-ção de Suzana Ferreira Borges. Campinas,SP: Editora da UNICAMP, 1992.
LEFEVERE, A. Translation, rewriting, and the manipulation of literary fame. Nova Iorque: Routledge, 1992.
MARCONDES HOMEM DE MELLO, F. I.; HOMEM DE MELLO, F. Geogra-phia-atlas do Brazil e das cinco partes do mundo. Rio de Janeiro: F. Briguiet, 1912.
NIMUENDAJÚ, C.; IPHAN; IBGE. Mapa etno-histórico do Brasil e regiões adja-centes. Brasília: IPHAN, IBGE, 2017.
RIAUDEL, M. Préface. In : Association pour la diffusion de la pensée française. France-Brésil. Paris: adpf, 2005.
SAID, E. Traveling theory. In: _____. The world, the text, the critic. Cambridge, Mass: Harvard, 1983.
SHOHAT, E.; STAM, R. Crítica da imagem eurocêntrica. Tradução de Marcos Soa-res. São Paulo: Cosac Naify, 2006.
SPÉZIA, K. A literatura brasileira traduzida na França de 2000 a 2013: uma pers-pectiva descritiva e sociológica. 2015, 127 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2015.
TORRES, M.-H. C. Rôle et censure des agents culturels: la littérature brésilienne traduite en français. Atelier de Traduction, Suceava, v. 1, n. 11, p. 61–83, 2009.
______. Traduzir o Brasil literário: Paratexto e discurso de acompanhamento. Tra-dução de Marlova Aseff, Eleonora Castelli. Tubarão, SC: Copiart, 2011.
______. Traduzir o Brasil literário: história e crítica. Tradução de Clarissa Prado Ma-rini, Sônia Fernandes, Aída Carla Rangel de Sousa. Tubarão, SC: Copiart; PGET/UFSC, 2014.
TOURY, G. Descriptive Translation Studies and beyond. Amsterdã/Philadelphia: John Benjamins Publishing, 1995.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
Pirolli, R. (2018). O aparato textual de "La Poésie du Brésil" (2012) enquanto recurso de mediação para a compreensão dos projetos antológicos e tradutório. Non Plus, 7(14), 188-211. https://doi.org/10.11606/issn.2316-3976.v7i14p188-211
Seção
ESTUDOS DA TRADUÇÃO