"Ou a morte ou o livro": a escrita em Marguerite Duras

  • Tatiane de Souza França Rangel Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: escrita, corpo, noite, mar, sobrevivencia

Resumo

Nas primeiras páginas de O Amante (1984), livro que trouxe à Marguerite Duras o Prix Goncourt do mesmo ano, uma frase se repete: “Deixe-me contar de novo”. A obra durassiana, como um todo, parece funcionar nesse movimento de maré: um (re)contar que passeia por diferentes tipos de representação, desde a página até as telas de cinema. Uma questão começa a se desenhar: por que seria preciso contar e recontar inúmeras vezes, mudando a forma narrativa, mudando o aparato representativo, facetas de uma mesma – ou de várias mesmas – histórias? O que seria escrever para uma autora que, ao ensaiar sobre a escrita, diz que ao se achar no fundo de um buraco, numa solidão quase total, se descobre que só a escrita pode nos salvar? É no encalço dessas interrogações que o presente artigo se desenrola. No encontro entre duas obras, O amante (1984) e Agatha (1981), busca-se pensar no que essa escrita, única salvadora, representa, e na relação que ela configura com o corpo de quem escreve quando se acha, só, no fundo de um buraco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADLER, Laure. Marguerite Duras. Paris: Gallimard, 1998.
BOUCHER, Marie-Héléne; MIHELAKIS, Eftihia; DELVAUX, Martine. Poétiques de l’absence chez Marguerite Duras. Québec: UQAM, 2012.
CETON, Jean Pierre. Entretiens avec Marguerite Duras. Paris: François Bourin Éditeur, 2012.
DURAS, Marguerite. Agatha. Paris: Les Éditions de Minuit, 1981.
_________________. Écrire. Paris: Éditions Gallimard, 1993.
_________________. O Amante. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1985.
_________________. Œuvres complètes. Paris: Éditions Gallimard, 2011.
JOUVENOT, Christian. La Folie de Marguerite: Marguerite Duras et as mère. Paris: L’Harmattan, 2008.
NOVARINA, Valère. Diante da Palavra. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009.
PRIGENT, Christian. Para que poetas ainda? Editora Cultura e Barbárie, 2017.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
Rangel, T. de S. F. (2018). "Ou a morte ou o livro": a escrita em Marguerite Duras. Non Plus, 7(14), 142-155. https://doi.org/10.11606/issn.2316-3976.v7i14p142-155
Seção
ESTUDOS LITERÁRIOS