Corpo, percepção e valor no pensamento curatorial contemporâneo

Palavras-chave: Curadoria, Medialidade, História das Exposições, Corpo, Aura

Resumo

Este artigo parte de algumas transformações nos estatutos do corpo, do espaço e do tempo, formuladas a partir da hegemonia do cubo branco na configuração espacial das exposições de arte. Lançando mão dos conceitos de medialidade, de Müller e Felinto, de iconofagia, de Baitello Jr., e de aura, de Benjamin, propomos investigar genealogicamente as exposições de arte em suas intersecções com uma paisagem mediática mais abrangente, na qual a proliferação das imagens produz profundas alterações nos estatutos da percepção e do valor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Icaro Ferraz Vidal Junior, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Bolsista de pós-doutorado PNPD-Capes no Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Doutor em História, História da Arte e Arqueologia pelas Université de Perpignan Via Domitia e Università degli studi di Bergamo e em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

BAITELLO JR., N. A era da iconofagia: reflexões sobre imagem, comunicação, mídia e cultura. São Paulo: Paulus, 2014.

BAITELLO JR., N. A carta, o abismo, o beijo: os ambientes de imagens entre o artístico e o mediático. São Paulo: Paulus, 2018.

BELTING, H. O fim da história da arte: uma revisão dez anos depois. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

BELTING, H. Antropologia da imagem. Lisboa: KKYM, 2014.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Obras escolhidas v. 1).

CHARNEY, L.; SCHWARTZ, V. R. O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

CYPRIANO, F.; OLIVEIRA, M. M. Histórias das exposições: casos exemplares. São Paulo: Educ, 2017.

GUMBRECHT, H. U. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2010.

LAFUENTE, P. et al. A história das “histórias das exposições” por Pablo Lafuente: Entrevista por Fabio Cypriano e Mirtes Marins de Oliveira. In: CYPRIANO, F.; OLIVEIRA, M. M. Histórias das exposições: casos exemplares. São Paulo: Educ, 2017, p. 13-37.

LIPOVETSKY, G. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MARDER, M. Lixeiranomia. Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 15, n. 44, p. 10-26, 2018.

MÜLLER, A.; FELINTO, E. Medialidade: encontros entre os estudos literários e os estudos de mídia. Contracampo, Niterói, v. 19, p. 125-136, 2008.

O’DOHERTY, B. Inside the white cube: l’ideologia dello spazio espositivo. Monza: Johan & Levi Editore, 2012.

RAPPAPORT, E. D. “Uma nova era de compras”: a promoção do prazer feminino no West End londrino, 1909-1914. In: CHARNEY, L.; SCHWARTZ, V. R. O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2001. p. 187-221.

SANTOS, K. C. H. O. Estudos dos conceitos fundamentais da teoria da mídia de Harry Pross: uma teoria dos multimeios. 2009. Monografia de conclusão do curso (Bacharelado em Comunicação e Multimeios) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

Publicado
2019-12-06
Como Citar
Vidal Junior, I. (2019). Corpo, percepção e valor no pensamento curatorial contemporâneo. Novos Olhares: Revista De Estudos Sobre Práticas De Recepção a Produtos Midiáticos, 8(2), 76-87. https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2019.162026
Seção
ARTIGOS