Intertexto, entrelaço e interdiscursividade

Shakespeare nos trabalhos de Jorge Furtado

Palavras-chave: Jorge Furtado, Shakespeare, Interdiscursividade, Cinema, Literatura

Resumo

Este artigo pretende investigar as interconexões de elementos presentes em algumas produções de Jorge Furtado, no âmbito cinematográfico e literário, examinando os processos conversacionais gerados a partir das relações que estabelecem com obras de William Shakespeare. Para isso, a análise se estrutura pelo mapeamento de dados de interdiscursividade, observando a influência e a ressignificação de Shakespeare em filmes como Houve uma vez dois verões (2002) e no livro Trabalhos de amor perdidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Afonso Barbosa, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Graduado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universi­dade Federal da Paraíba e doutor em Le­tras também pela UFPB.

Luiz Antonio Mousinho, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Professor Titular do Departamento de Comunicação, dos Programas de Pós-graduação em Letras-PPGL e em Comunicação-PPGC, da Universidade Federal da Paraíba – UFPB. Desenvolve pesquisa junto ao CNPq (PQ) sobre as relações entre ficção e sociedade.

Referências

BARBOSA, A.; MOUSINHO, L. A. Romance: procedimentos metalinguísticos e a relação entre linguagens na ficção de Guel Arraes. Revista Geminis (São Carlos), vol. 3, n. 1, pp. 151-160, 6/ago/2012. Disponível em: http://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/article/
view/104/78. Acesso em: 7/nov/2019.
BERNARDO, G. O livro da metaficção. Rio de Janeiro: Tinta Negra Bazar Editorial, 2010.

FURTADO, J. Trabalhos de amor perdidos. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006.

LUDWIG, C. R. Negação da figura paterna e a fuga de Jéssica no Mercador de Veneza: consciência, vergonha e interioridade. Revista Letras de Hoje: Estudos e debates em linguística, literatura e língua portuguesa (Porto Alegre), v. 51, n. 4, pp. 583-591, out-dez/2016. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/23049/15221. Acesso em: 21/out/2019.

MOUSINHO, L. A. A sombra que me move: ensaios sobre ficção e produção de sentido (cinema, literatura, tv). João Pessoa: Ideia, Editora Universitária, 2012.

PUCCI, R. Cinema Brasileiro Pós-moderno: o Neon-realismo. Porto Alegre (RS): Editora Sulina, 2008

RÓNAI, C. Sob a organização de Jorge Furtado, sonetos de Shakespeare são traduzidos em livro que convida. O Globo: Caderno Cultura. 09/set/2010. Disponível em: https://oglobo.globo.com/cultura/sob-organizacao-de-jorge-furtado-sonetos-de-shakespeare-sao-traduzidos-em-livro-que-convida-2954611. Acesso em: 21/out/2019.

SHAKESPEARE, W. O mercador de Veneza. Trad. Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Melhoramentos, 1982.

SHAKESPEARE, W. Os melhores sonetos. Trad. Ivo Barroso. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2013.

SHAKESPEARE, W. Trabalhos de amor perdidos. Trad. Barbara Heliodora. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014.

VIANA, H. Caixa Cultural recebe retrospectiva de Jorge Furtado. Folha de Pernambuco. 11/dez/2016. Disponível em: https://www.folhape.com.br/
diversao/diversao/diversao/2016/12/11/NWS,9742,71,552,DIVERSAO,2330-CAIXA-CULTURAL-RECEBE-RETROSPECTIVA-JORGE-FURTADO.aspx. Acesso em: 28/out/2019.
Publicado
2020-07-13
Como Citar
Barbosa, A., & Mousinho, L. (2020). Intertexto, entrelaço e interdiscursividade. Novos Olhares, 9(1), 185-194. https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2020.164677
Seção
ARTIGOS