A importância da viagem: uma correspondência poética entre poetas e caraíbas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2020.166277

Palavras-chave:

Caraíba, Poeta, Max Martins, Viagem

Resumo

Este trabalho se dispôs a interpretar as longas peregrinações realizadas pelos tupis-guaranis de modo a estabelecer relação com uma noção de viagem que é muito cara à linguagem poética, aliás, própria do estatuto do poeta, ou seja, daquele que se lança no fazer poético; assim como a imagem ascética e errante do caraíba, enquanto designação também do poeta. Deste modo, pensar nesta correspondência entre o ritual indígena em busca de um território sagrado para refletir no próprio expediente poético, e em como ambos dialogam, ao entenderem, cada um à sua maneira, a importância da viagem, de sua trajetória e errância, mas também da figura do profeta-poeta, ou seja, daquele que se dispõe obstinada e religiosamente, no sentido da busca pelo sagrado, nesta perquirição. Para estabelecer tal correspondência, usaremos a trajetória poética de Max Martins, pois ele incorporou tais aspectos. Entre os teóricos que direcionaram este trabalho estão Maurice Blanchot, Martin Heidegger, Benedito Nunes, Edmond Jabès, entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leila Melo Coroa, Universidade Federal do Pará

Mestranda em Estudos Literários pela Universidade Federal do Pará (UFPA), na área de interpretação, circulação e recepção. Graduada em Licenciatura plena em Letras com habilitação em Língua Portuguesa na mesma instituição. 

Mayara Ribeiro Guimarães, Universidade Federal do Pará

Doutora em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora de Literatura Brasileira na Universidade Federal do Pará, editora-chefe da Revista MOARA, revista do programa de pós-graduação em Letras da UFPA, atua também como professora no PPGL na área de Estudos Literários.

Referências

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

BLANCHOT, Maurice. A conversa infinita 1. São Paulo: Escuta, 2001.

CLASTRES, Hèlene. Terra sem mal. Editora brasiliense. São Paulo, 1993.

JABÈS, Edmond. O livro das questões. São Paulo: ed. Lumme, 2016.

HEIDEGGER, Martin. A essência do fundamento. In: HEIDEGGER, Martin. Marcas do caminho. Trad. Márcia de Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2008.

HEIDEGGER, Martin. Ensaios e conferências. Trad. Emmanuel Carneiro Leão, Gilvam Fogel e Márcia de Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2001.

MARTINS, Max. Caminho de Marahu. Organização & notas Age de Carvalho; prefácio Davi Arrigucci Jr. Belém: ed. Ufpa, 2015.

MARTINS, Max. O risco subscrito. Belém: ed. Ufpa, 2016.

NUNES, Benedito. Max Martins, mestre aprendiz. In: NUNES, Benedito. A clave do poético. Organização e apresentação Victor Sales Pinheiro. São Paulo: Martins Fontes: 2009.

Downloads

Publicado

2020-07-31

Como Citar

Coroa, L. M., & Guimarães, M. R. (2020). A importância da viagem: uma correspondência poética entre poetas e caraíbas. Opiniães, (16), 238-253. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2020.166277