Espaços abertos / espaços livres: um estudo de tipologias

  • Evy Hannes Universidade Paulista.
Palavras-chave: Espaços livres. Espaços abertos. Espaço público. Tipologia de espaços abertos. Esfera pública.

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão referente às tipologias de espaços abertos e de espaços livres, conceituando-os brevemente e colocando questões relativas às esferas pública e privada. Discute suas diferentes funções nas áreas urbanas, ressaltando as de caráter urbanístico, social, recreativas, estético e ecológico. Tem como objetivo elencar os principais espaços livres de uso público na escala urbana da cidade existentes no Brasil, definindo-os, fazendo referência ao seu surgimento na história, evolução no contexto urbano, usos e desenho. Serão analisados autores que percorrem as diversas facetas do urbano, como a morfologia urbana, a história, percepção, memória e apropriação do espaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evy Hannes, Universidade Paulista.

Arquiteta e urbanista, especialista em Arquitetura da Paisagem e Desenho Ambiental pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). Mestranda da área de concentração Paisagem e Ambiente do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Docente de Projeto Urbano e Paisagismo na Universidade Paulista (UNIP). evyhannes@yahoo.com

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. 5 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1991. (Publicação original: 1958).

COOPER, Marcus; FRANCIS, Carolyn. People places: design guidelines for urban open space. 2 ed. New York: John Wiley & Sons, 1988. 367 p.

CULLEN, Gordon. Paisagem urbana. 2 ed. Lisboa: Edições 70, 1983. 202 p.

Enforcement + Engineering | action plan program series. LA/2B Staff, August 2, 2013. Disponível em: https://la2b.org/2013/08/02/enforcement-engineering-action-plan-program-series/. Acesso em: 26 set. 2015.

GEHL, Jan. Cidades para pessoas. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 2013. 262 p.

Guia Geográfico da Cidade de Curitiba. Disponível em: http://curitiba.paises-america.com/bairros.htmconcursocultural-para-escolha-do-tema-da-proxima-edicao/. Acesso em: 26 set. 2015.

Google Street View. Disponível em: https://www.google.com.br/maps/@-23.5501051,-46.645108,3a,75y,154.74h,74.2t/data=!3m6!1e1!3m4!1sITg58s6hYh3ZK2opo1WuWw!2e0!7i13312!8i6656. Acesso em: 26 set. 2015.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

JACOBS, Jane. Morte e vida das grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes. 2000. 585 p.

JANUZZI, Denise de Cássia Rossetto. Calçadões: a revitalização urbana e a valorização das estruturas comerciais em áreas centrais. 2006. 318 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

JELLICOE, Geoffrey; JELLICOE, Susan. 2 ed. The landscape of man. New York: Thames and Hudson Inc., 1995. 408 p.

KLIASS, Rosa Grena. Parques urbanos de São Paulo. São Paulo: Pini, 1993. 211 p.

LAMAS, José M. Morfologia urbana e desenho da cidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulheran, 1993. 590 p.

LEITE, Maria Angela Faggin Pereira. Um sistema de espaços livres para São Paulo. São Paulo: IEA-USP. Estudos Avançados, vol. 25, nº 71, abr. 2011, p.159-17.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. São Paulo, Martins Fontes, 1997. 227 p.

MACEDO, Silvio Soares. Quadro do paisagismo no Brasil. São Paulo: Edusp, 1999. 144 p.

MACEDO, Silvio Soares; ROBBA, Fábio. Praças brasileiras. 2 ed. São Paulo: Edusp, 2003. 312 p.

MACEDO, Silvio Soares; SAKATA, Francine. Parques urbanos no Brasil. São Paulo: Edusp, 203. 207 p.

MACEDO, Silvio Soares et al. Sistemas de espaços livres privados – o outro lado do sistema de espaços livres urbanos: reflexões preliminares. In: MACEDO, Silvio Soares et al (Org.). Sistemas de espaços livres: conceitos, conflitos e paisagens. São Paulo: FAUUSP, 2011, p. 33-53.

MAGNOLI, Miranda Martinelli. Projetos de Espaços Livres Urbanos. 1982. Tese (Pós-Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1982.

Parada LGBT de São Paulo realiza concurso cultural para escolha do tema da próxima edição. Fashion Bubbles. Disponível em: http://www.fashionbubbles.com/bubbles/parada-lgbt-de-sao-paulo-realiza-concurso-cultural-paraescolha-do-tema-da-proxima-edicao/. Acesso em: 26 set. 2015.

QUEIROGA, Eugenio Fernandes. A megalópole e a praça: o espaço entre a razão de dominação e a ação comunicativa. São Paulo, 2001. 351 p. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2001.

QUEIROGA, Eugenio Fernandes. Dimensões públicas do espaço contemporâneo: resistências e transformações de territórios, paisagens e lugares urbanos brasileiros. 2012. 284 f. Tese (Livre Docência em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

QUEIROGA, Eugenio Fernandes. et al. Notas gerais sobre o Sistema de Espaços Livres da cidade brasileira. In: CAMPOS, A. et al (Org.). Sistemas de espaços livres: conceitos, conflitos e paisagens. São Paulo: FAUUSP, 2011, p. 11-21.

SANTOS, Carlos Nelson Ferreira. A cidade como um jogo de cartas. Niterói: EDUFF, 1988. 192 p.

TURTELLI, Camila. Torneio resgata brincadeira de rua no centro de Ribeirão Preto. Folha de S. Paulo, 1 jun. 2014, Cotidiano. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/ribeiraopreto/2014/06/1463244-torneioresgata-brincadeira-de-rua-no-centro-de-ribeirao-preto.shtml. Acesso em: 26 set. 2015.

Publicado
2016-07-26
Como Citar
Hannes, E. (2016). Espaços abertos / espaços livres: um estudo de tipologias. Paisagem E Ambiente, (37), 121-144. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i37p121-144
Seção
Fundamentos