A influência dos aspectos geomorfológicos nas áreas degradadas susceptíveis à desertificação no estado do Ceará, Brasil

  • Jader Ribeiro Lima Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE.
  • Abner Monteiro Nunes Cordeiro Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE.
  • Frederico de Holanda Bastos Laboratório de Estudos Morfoestruturais e Pedológicos. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE.
Palavras-chave: Desertificação. Efeito orográfico. Semiárido cearense.

Resumo

O presente trabalho procura correlacionar empiricamente a gênese dos três núcleos de desertificação do estado do Ceará, na maior parte das vezes acentuados por ações antrópicas diretas ou indiretas, com as áreas situadas em posição de sota-vento dos maciços cristalinos. Os três núcleos/manchas de desertificação do Ceará foram identificados e mapeados pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos em 1990 e, posteriormente, pelo Programa de Ação Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca em 2010. É evidente que não se pode destacar apenas o fato da posição dessas feições geomorfológicas como determinantes para a ocorrência das áreas degradadas suscetíveis à desertificação. Também se deve que a degradação ambiental é um processo antigo, que tem se agravado com o tempo devido à utilização de técnicas inadequadas para o manejo do solo e da vegetação pelo homem no semiárido cearense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jader Ribeiro Lima, Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE.

Geógrafo pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Mestre em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Analista de Sistemas da Gerência de Estatística, Geografia e Informação do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (GEGIN/IPECE).

Abner Monteiro Nunes Cordeiro, Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE.

Geógrafo, especialista em Educação Ambiental, mestre e doutorando em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professor da Prefeitura Municipal de Maranguape (CE).

Frederico de Holanda Bastos, Laboratório de Estudos Morfoestruturais e Pedológicos. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE.

Geógrafo pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente e doutor em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor Adjunto da UECE – Laboratório de Estudos Morfoestruturais e Pedológicos (LEMEP).

Referências

AB’SÁBER, Aziz Nacib. Os domínios da natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. 160 p.

BASTOS, F. H.; CORDEIRO, A. M. N. Processos de formação das paisagens semiáridas do estado do Ceará – Brasil. In: ARAÚJO, A. G.; SILA, J. F. da; OLIVEIRA, J. C. A. de; OLIVEIRA, P. W. A. de; OLIVEIRA, S. G. de. Geografia ensino e pesquisa: produzindo saberes. Curitiba: CRV, 2012, p. 149-170.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Programa Nacional de Combate à Desertificação: PAN – Brasil. Brasília: Secretaria de Recursos Hídricos, 2005. 212 p.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sinopse do Censo Demográfico para o semiárido brasileiro. Brasília: IBGE, 2010.

CEARÁ. Proposta de dimensionamento do semiárido brasileiro. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2005. 108 p.

CEARÁ. Secretaria de Recursos Hídricos. Programa de Ação Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE-CE). Fortaleza: Ministério do Meio Ambiente, 2010. 372 p.

CEARÁ. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Perfil Municipal. Fortaleza, 2014. Disponível em: http://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/perfil_basico/perfil-basico-municipal-2014. Acesso em: 12 mai. 2015.

CNUMAD – Conferência das Nações Unidas Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Agenda 21. Rio de Janeiro: The United Nations Environment Programme, 1992. Brasília: Câmara dos Deputados, 1995. 472 p.

CONTI, J. B. As relações sociedade/natureza e os impactos da desertificação nos trópicos. Cadernos Geográficos, nº 4, vol. 4 Florianópolis: UFSC, 2002, p. 1-42.

CONTI, J. B. A questão climática do Nordeste brasileiro e os processos de desertificação. Revista Brasileira de Climatologia, vol. 1, nº 1, 2005, p. 7-14.

INSA – Instituto Nacional do Semiárido. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Desertificação e mudanças climáticas no semiárido brasileiro. Campina Grande, 2011. 209 p.

FUNCEME – Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos. Áreas degradadas susceptíveis aos processos de desertificação no estado do Ceará. Fortaleza: ICID, 1990.

FUNCEME – Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos. Séries históricas das chuvas. 2015. Disponível em: http://www.funceme.br/index.php/areas/tempo/download-de-series-historicas. Acesso em: 11 jan. 2015.

LEITE, F. R.; SOARES, A. M. L.; MARTINS, M. L. R. Áreas degradadas susceptíveis de processo de desertificação no estado do Ceará. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 7, 1993, Curitiba. Anais... Curitiba, 1993, p. 156-161.

LIU, William Tse Horng. Aplicações de sensoriamento remoto. Campo Grande, MS: Uniderp, 2006. 908 p.

NASCIMENTO, Flávio Rodrigues do. Degradação ambiental e desertificação no Nordeste brasileiro: o contexto da bacia hidrográfica do rio Acaraú-Ceará. 2006. 340 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Geografia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006.

NASCIMENTO, Flávio Rodrigues do. O fenômeno da desertificação. Goiânia: UFG, 2013. 240 p.

NIMER, Edmon. Climatologia do Brasil. Rio de janeiro: IBGE, 1977. 480 p.

SOUZA, Marcos José Nogueira de. Contexto ambiental do enclave úmido da serra de Baturité-Ceará. In: BASTOS, F. H (Org.). Serra de Baturité: uma visão integrada das questões ambientais. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2011. 248 p.

SOUZA, Marcos José Nogueira de; OLIVEIRA, Vládia Pinto Vidal de. Os enclaves úmidos e subúmidos do semiárido do Nordeste brasileiro. Mercator, ano 5, nº 9. Fortaleza, 2006, p. 85-102.

TRICART, Jean. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE/SUPREM, 1977. 91 p.

Publicado
2016-12-19
Como Citar
Lima, J., Cordeiro, A., & Bastos, F. (2016). A influência dos aspectos geomorfológicos nas áreas degradadas susceptíveis à desertificação no estado do Ceará, Brasil. Paisagem E Ambiente, (38), 57-69. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i38p57-69
Seção
Ambiente