Parque Ecológico Aldeia de Carapicuíba: projeto de paisagismo participativo valorizando um patrimônio histórico

  • Sylvia Adriana Dobry-Pronsato FIAM-FAAM Centro Universitário. Curso de Arquitetura e Urbanismo.
  • Caio Boucinhas FIAM-FAAM Centro Universitário. Curso de Arquitetura e Urbanismo.
  • Antônio Busnardo Filho FIAM-FAAM Centro Universitário. Curso de Arquitetura e Urbanismo.
  • Denise Falcão Pessoa Universidade Nove de Julho. Curso de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Parque. Arquitetura e urbanismo. Arte. Percepção e participação. Patrimônio histórico.

Resumo

Neste artigo discute-se o projeto do Parque Ecológico Aldeia de Carapicuíba, iniciado em 1994 e implantado em 2004. O processo entrelaçou diferentes temas quanto à recuperação e consolidação de sentimentos de pertencimento a um lugar considerado patrimônio histórico e ambiental, e sua valorização. Reflete-se, também, sobre a noção de participação da comunidade, que possibilitou a implantação do parque e facilitou a preservação desse patrimônio histórico e ambiental. O método participativo de projetá-lo possibilitou a articulação de diversos níveis de ensino, resultado do trabalho conjunto entre arquiteto contratado pela prefeitura, alunos da pós-graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, professores, funcionários e alunos da Escola Estadual de Primeiro Grau Professora Esmeralda Becker Freire de Carvalho, localizada no patrimônio histórico Aldeia de Carapicuíba. Nesse processo, a execução, ainda que parcial em relação ao projeto original, só foi possível pelo envolvimento direto da comunidade, evidenciando que a relação arte-percepção, ao transcender o simples observar, pode contribuir em ações que valorizem o sentimento de pertencimento aos lugares de vida, nesse caso, o patrimônio histórico ambiental. Ao estimular a escola a ocupar os espaços da arte, no desenvolvimento da percepção, abriu-se a probabilidade de maior valorização do patrimônio histórico ambiental e cultural. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sylvia Adriana Dobry-Pronsato, FIAM-FAAM Centro Universitário. Curso de Arquitetura e Urbanismo.

Arquiteta e urbanista pela Universidad Nacional de Córdoba (FAU-UNC), Argentina. Mestre e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professora e pesquisadora no Curso de Arquitetura e Urbanismo FIAM-FAAM Centro Universitário do Mestrado Profissional Stricto Sensu na área de Arquitetura e Urbanismo: Projeto, Produção e Gestão do Espaço Urbano. Avenida da Liberdade, 749, 7° andar, 01502-001, Liberdade, São Paulo, SP, Brasil. sydobry@gmail.com

Caio Boucinhas, FIAM-FAAM Centro Universitário. Curso de Arquitetura e Urbanismo.

Arquiteto e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre e doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professor e pesquisador no Curso de Arquitetura e Urbanismo FIAM-FAAM Centro Universitário do Mestrado Profissional Stricto Sensu na área de Arquitetura e Urbanismo: Projeto, Produção e Gestão do Espaço Urbano. Avenida da Liberdade, 749, 7° andar, 01502-001, Liberdade, São Paulo, SP, Brasil. cboucinhas@uol.com.br

Antônio Busnardo Filho, FIAM-FAAM Centro Universitário. Curso de Arquitetura e Urbanismo.

Arquiteto e urbanista pela Faculdade Farias Brito – Universidade de Guarulhos (UnG). Mestre e doutor pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP). Professor e pesquisador no Curso de Arquitetura e Urbanismo FIAM FAAM, no Mestrado Profissional Stricto Sensu na área de Arquitetura e Urbanismo: Projeto, Produção e Gestão do Espaço Urbano. Rua Kari, 44, 07047-041, Jardim São João, Guarulhos, SP, Brasil. antbusnardo@gmail.com

Denise Falcão Pessoa, Universidade Nove de Julho. Curso de Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestre em Arquitetura e Urbanismo, concentração em Desenho Urbano, pelo College of Architecture and Urban Planning – The University of Michigan, USA. Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professora e pesquisadora no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Nove de Julho (Uninove) e Centro Universitário Belas Artes. Rua doutor Louis Couty, 35, ap. 71, 05436-030,Jardim das Bandeiras, São Paulo, SP, Brasil. denisefpessoa@hotmail.com

Referências

BARCELLOS, João. Os jesuítas na terra dos Brazis. A Página da E Educação, n° 173, ano 16, dezembro, 2007. Disponível em: http://www.apagina.pt/?aba=7&cat=173&doc=13084&mid=2. Acesso em: 24 jun. 2013.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. 422 p.

BOUCINHAS, Caio. Projeto participativo na produção do espaço público. 2005. 230 f. Tese (Doutorado em Estruturas Ambientais Urbanas) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo,2005.

DOBRY-PRONSATO, Sylvia Adriana. Arquitetura e paisagem: projeto participativo e criação coletiva. São Paulo: Annablume/ Fapesp/Fupam, 2005. 148 p.

DOBRY-PRONSATO, Sylvia Adriana; BOUCINHAS, Caio; PESSOA, Denise Falcão. Patrimônio histórico e paisagismo participativo: Aldeia de Carapicuíba e seu entorno – tantos olhares. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE REABILITAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO E EDIFICADO, 12, 2014, Bauru, Anais... ISSN/ISBN: 978-85-99679, p. 374-382.

FACCIO, Neide Barrocá. A Aldeia Carapicuíba e sua resolução de tombamento. Topos, vol. 4, n° 2, 2010, p. 60-108. Disponível em: http://revista.fct.unesp.br/index.php/topos/article/viewFile/2255/2064. Acesso em: 26 jun. 2014.

LEMOS, Carlos Alberto Cerqueira; MORI, Victor Hugo; ALAMBERT, Clara Correia d’. Antiga Aldeia de Carapicuíba. In: SOUZA, Marisa Campos de; BASTOS, Rossano Lopes (Orgs.). Patrimônio 70 Anos. São Paulo: 90SR/Iphan, 2008. 352 p.

MERLEAU-PONTY, M. Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991, p. 39-88.

OLIVEIRA, Marilza de. Para a história social da língua portuguesa em São Paulo: séculos XVI-XVIII. Disponível em: http://dlcv.fflch.usp.br/sites/dlcv.fflch.usp.br/files/maril011.pdf. Acesso em: 20 mai. 2016.

ZAHN, Carlos Eduardo; FEITOSA, Maria José; SAWAYA, Sylvio Barros. Aldeia de Carapicuíba: estudo histórico, arquitetônico e urbanístico do único aldeamento jesuítico paulista remanescente. ECCOS, n° 1, vol. 2. São Paulo: Centro Universitário Nove de Julho, 2000, p.135-141.

Publicado
2016-07-26
Como Citar
Dobry-Pronsato, S., Boucinhas, C., Busnardo Filho, A., & Pessoa, D. (2016). Parque Ecológico Aldeia de Carapicuíba: projeto de paisagismo participativo valorizando um patrimônio histórico. Paisagem E Ambiente, (37), 101-117. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i37p101-117
Seção
Projeto