Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Caminhabilidade, paisagem e ambiência no centro histórico de Goiás-GO

Carina Folena Cardoso, Thalita Pereira Fonseca, Pedro Henrique Gonçalves

Resumo


Este trabalho relaciona os níveis de caminhabilidade do centro histórico da cidade de Goiás (GO) com a contemplação de sua paisagem cultural em percursos ordinários. A investigação se dá através de abordagens quantitativas e qualitativas a partir de três perspectivas: distâncias percorridas; qualidade dos ambientes contemplados nos percursos; paisagem. Como desdobramento dos procedimentos metodológicos e dos resultados encontrados, discute-se sobre a contribuição do estudo da qualidade paisagística e ambiental à análise da caminhabilidade, procurando superar uma avaliação segmentária desta. Os resultados apresentam índices abaixo da média para todos os percursos, o que dificilmente enquadraria a cidade de Goiás no rol das chamadas “cidades ativas” por suas deficiências no âmbito da caminhabilidade.


Palavras-chave


Caminhabilidade. Ambiência urbana. Paisagem urbana. Visão serial. Cidades pequenas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, E.; FARR, D. Um bairro completo. In: FARR, D. (Org.). Urbanismo sustentável: desenho urbano com a natureza. Porto Alegre: Bookman, 2013.

BARROS, A. P. B. G.; MARTÍNEZ, L. M. G.; VIEGAS, J. M. A caminhabilidade sob a ótica das pessoas: o que promove e o que inibe o deslocamento a pé? Ur, Barcelona, n. 8, 2015, p. 94-103.

BORGOGNI, A. Active city: il movimento è protagonista. In: Il Manifesto, Itália, 14 set. 2013, Sport, s/p.

CARERI, F. Walkscapes: el andar como práctica estética. Barcelona: Gustavo Gilli, 2002.

CORALINA, C. Poemas e becos de Goiás e estórias mais. São Paulo: Círculo do Livro, 1989.

CULLEN, G. Paisagem urbana. Lisboa: Edições 70, 2010.

DORATO, E. La città attiva: mutamenti e nuove pratiche nell'uso dello spazio pubblico. In: Inforum, 2014, p.13-18. Disponível em: . Acesso em: 24 nov. 2016.

GEHL, J. Cidades para pessoas. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

GHIDINI, R. A caminhabilidade: medida urbana sustentável. Revista dos Transportes Públicos – ANTP. São Paulo: ANTP, v. 33, 2011, p. 21-33.

GONÇALVES et al. Avaliação da caminhabilidade nas ruas da cidade. Revista Mirante. Anápolis: UEG, v. 8, 2015, p. 185-2001.

LATOUR, B. A esperança de Pandora. Bauru: Edusc, 2001.

LOPES, A. R. A cidade sob a poética do andar: as deambulações de Hélio Oiticica. 2012. 189 f. Tese (Doutorado em Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo) – Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012.

LYNCH, K. A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

NANYA, L. M.; SANCHES, S. P. Proposta de instrumento para auditoria e avaliação da caminhabilidade. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA EM TRANSPORTE DA ANPET, 2015, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto: ANTP, 2015, p. 81-94.

PANERAI, P. Análise urbana. Brasília: EDU, 2014.

REY, S. Caminhar: experiência estética, desdobramento virtual. Revista Porto Arte, v. 17, n. 29, 2010, p.107-121.

SÁNCHEZ, E. R.; CAMPILLO, H. O. Andar: movilidad sostenible. Módulo Arquitectura CUC. Barranquilla: Educosta, v. 12, n. 1, 2013, p. 27-44.

SCHELLE, K. G. A arte de passear. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SPECK, J. Walkable city: how downtown can save America, one step at a time. New York: Farrar, Straus and Giroux, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i40p35-57

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

Informamos a todos os autores que quando forem registrar sua produção científica referente aos artigos publicados em nossa revista devem colocar o ISSN ELETRÔNICO E O ISSN DO IMPRESSO.

Lembramos que a colocação de somente um dos dois pode resultar em INCONSISTÊNCIA nos procedimentos de avaliação institucional CAPES, etc. resultando na não pontuação desta produção.

Dr. Silvio Soares Macedo

Editor

 

INDEXAÇÃO: 

       

Índice de Arquitetura Brasileira

ISSN 2359-5361 (Online)

ISSN 0104-6098 (Impresso)