Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Redes sociais e paisagem da destinação turística: fotografias online na construção da imagem da cidade

Luciana Noronha Pereira, Alina Gonçalves Santiago

Resumo


A atividade turística tem as paisagens entre seus principais atrativos. Registros fotográficos como fragmentos da realidade, são produtos de um olhar a aspectos da paisagem e mediadores doe seu processo de significação. Novas formas de registrar e compartilhar a experiência turística em fotografias digitais produzidas e compartilhadas online, tem implicado na ampliação de seu efeito e possibilitado novos tipos de apropriação, interação e criação do espaço. Este estudo pretende investigar possíveis influências das fotografias online na imagem de destinações turísticas, a partir de Balneário Camboriú/SC. A metodologia inclui uma etapa quantitativa - quantidade e localização das fotos - e outra qualitativa - análise de conteúdo das fotos e seus comentários. A concentração de fotografias online em áreas de orla e a presença predominante de elementos naturais como argumentos centrais, associados às emoções positivas, destacam-se entre os resultados.


Palavras-chave


Redes Sociais. Paisagem Urbana. Fotos Online. Destinações Turísticas.

Texto completo:

PDF

Referências


BENI, M. C. Política e estratégia do desenvolvimento regional: planejamento integrado e sustentável do turismo. Revista Turismo em Análise. São Paulo, v. 10, maio, 1999, p. 7-17.

BUTLER, R. W. The concept of a tourist area life cycle of evolution implications for management of resources. Canadian Geographer, v. 24, n. 1, 1980, p. 5-12.

CAPRA, F. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, 2002.

CASARIN, V.; SANTIAGO, A. G. Uma reflexão acerca do papel do arquiteto na construção da paisagem informacional. Paisagem e Ambiente: ensaios, n. 31. São Paulo: FAUUSP, 2013, p. 147-160.

CONCU, N.; ATZENI, G. Conflicting preferences among tourists and residents. Tourism Management, 33, 2012, p. 1.293-1.300.

CORREA, R. L. O espaço urbano. 3 ed. São Paulo: Ática, 1995. (Série Princípios).

CORREA, R. L; ROSENDAHL, Z (Orgs.). Paisagem, tempo e cultura. Rio de Janeiro: UERJ, 1998.

COSTA, M. M.; BENITES, M. G. Realismo na fotografia: um ensaio sobre o estudo da linguagem fotográfica para o ensino de geografia. Geoatos – Geografia em Atos, Presidente Prudente: UNESP, v. 2, n. 9, 2009. Disponível em: < revista.fct.unesp.br/index.php/geografiaematos/article/download/283/costan9v2 >. Acesso em: jun. 2015.

DUARTE, F.; FIRMINO, R. Infiltrated city, augmented space: information and communication technologies, and representations of contemporary spatialities. The Journal of Architecture. Volume 14 (5), 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/13602360903187493.

DUBOIS, P. O ato fotográfico e outros ensaios. 7 ed. Campinas: Papirus, 2003.

GOELDNER, C. R.; MCINTOSH, R. W.; RITCHIE, J. R. Turismo: princípios, práticas e filosofias. São Paulo: Bookman, 2002.

KOSSOY, B. Realidades e ficções na trama fotográfica. 3 ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2002.

KRAMER, A.; GUILLORY J.; HANCOCK, J. Experimental evidence of massive-scale emotional contagion through social networks. National Academy of Sciences of the United States of America. Proceedings. Washington, DC: National Academy of Sciences, v. 111, n. 24, June 2014, p. 8.788-8.790. Disponível em: < http://www.pnas.org/content/111/24/8788.full >. Acesso em: jun. 2014. DOI: 10.1073/pnas.1320040111

LAMAS, J. M. R. G. Morfologia urbana e desenho da cidade. 2 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbekian, 2004. Cap. I e II. p. 17-129.

LARSEN, J. Families seen sightseeing: performativity of tourist photography. Space and Culture. Vol. 8, No. 4, November, 2005, p. 416-434. Disponível em: < http://sac.sagepub.com/content/8/4/416 >. Acesso em: jul. 2014. DOI: 10.1177/1206331205279354

LEITE, M. A. F. P. Destruição ou desconstrução? Questões de paisagem e tendências de regionalização 2 ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

LEMOS, A. Celulares, funções pós-midiáticas, cidade e mobilidade. URBE – Revista Brasileira de Gestão Urbana. Curitiba: PUC, v. 2, n. 2, jul./dez., 2010, p. 155-166.

LIZ, A. A.; PEREIRA, L. N. Implicações das políticas públicas na morfologia urbana em Balneário Camboriú/SC. In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 12, Itajaí: UNIVALI, 2013.

LO, I.; MCKERCHER, Lo A.; CHEUNG, L. Tourism and online photography. Tourism Management, 32, 2011, p. 725-731. Disponível em: . Acesso em julho 2014. DOI: 10.1016/j.tourman.2010.06.001.

MALARD, M. L. As aparências em arquitetura. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

MARCHI, P. M. de. Cell phones: a digital cartography of São Paulo. URBE – Revista Brasileira de Gestão Urbana. Curitiba: PUC-PR, v. 6, n. 1, jan./abr., 2014, p. 73-85. Disponível em: . Acesso em: out. 2015.

MULLINS, P. Archaeology and material culture: the material world, broadly defined. Imagining heritage: selfies and visual placemaking at historic sites, 2014. Disponível em: < http://paulmullins.wordpress.com/2014/06/30 >. Acesso em: jul. 2014.

OLIVEIRA, J. P.; FERNANDES, D. L.; STACH, C. A paisagem urbana como recurso turístico: um estudo da paisagem edificada de Irati – PR enquanto atrativo turístico. Turismo – Visão e Ação. vol. 9, n. 1, jan./abr., 2007, p. 83-94.

REED, D. J.; JOHNSON, M. R. New technological localisms: a comparative analysis of two case studies. URBE – Revista Brasileira de Gestão Urbana, Curitiba: PUC, v. 6, n. 1, jan./abr., 2014, p. 57-72. Disponível em: http://dx.doi.org/10.7213/urbe.06.001.SE04 . Acesso em agosto 2016.

RUSCHMANN, D. M. Turismo e planejamento sustentável: a proteção do meio ambiente. 10 ed. Campinas: Papirus, 2003.

SANTAELLA, L.; NÖTH, W. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Luminuras, 1998.

SANTOS, M. Espaço e método. 3 ed. São Paulo: Nobel, 1992.

SANTOS, M. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

TACCA, F. Imagem fotográfica: aparelho, representação e significação. Psicologia & Sociedade. Porto Alegre: UFRGS, v.17, n. 3, set./dez, 2005. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822005000300002.

URRY, J. O olhar do turista. São Paulo: Studio Nobel, 1999.

VERDUM, R. Perceber e conceber paisagem. In: VERDUM, R.; VIEIRA, L. dos S.; PINTO, B. F.; SILVA, L. A. P (Orgs). Paisagem: leituras, significados e transformação. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

XIANG, Zheng; GRETZEL, Ulrike. Role of social media in online travel information search. Tourism Management, 31, 2010, p. 179-188. DOI: .




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i40p9-31

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

Informamos a todos os autores que quando forem registrar sua produção científica referente aos artigos publicados em nossa revista devem colocar o ISSN ELETRÔNICO E O ISSN DO IMPRESSO.

Lembramos que a colocação de somente um dos dois pode resultar em INCONSISTÊNCIA nos procedimentos de avaliação institucional CAPES, etc. resultando na não pontuação desta produção.

Dr. Silvio Soares Macedo

Editor

 

INDEXAÇÃO: 

       

Índice de Arquitetura Brasileira

ISSN 2359-5361 (Online)

ISSN 0104-6098 (Impresso)