Apropriação do espaço urbano pela criança: a importância do jogo lúdico

  • Ancelo Serpa Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Resumo

Para desenvolver-se e descobrir o mundo brincando, a criança precisa de um meio ambiente social aberto a novas experiências e ao mesmo tempo propício ao jogo lúdico. A situação real da criança no meio ambiente urbano se caracteriza, no entanto, pela carência crônica de espaços livres. Para entendermelhorasegregaçãoespacial doatode brincar foram entrevistadas 37 crianças com idades entre 7 e 9 anos no bairro de Itaquera, na zona leste de São Paulo. As crianças desenharam como e onde bri ncam mais no bai rro. Foram realizadas também entrevistas estruturadas com os pais e mães de algumas crianças que se prontificaram a participar da pesquisa. Os espaços mencionados pelas crianças foram fotografados e comparados com os espaços desenhados. Para análise dos desenhos utilizou-se as categorias descritas por Jean Piaget para a classificação dos jogos e sua evolução. O jogo lúdico parece obedecer ao desenvolvimento gradual proposto por Piaget, mas a segregação espacial do ato de brincar pode ocasionar uma certa renitência do símbolo deformante, que já deveria estar totalmente superado nesta fase do desenvolvimento da criança

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ancelo Serpa, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador doutor do CNPq junto ao Departamento de Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo e mestrado em geografia da Universidade Federal da Bahia. Engenheiro Florestal e Doutor em Planejamento Paisagístico e Ambiental pela Universidade de Agronomia de Viena, Áustria
Publicado
1995-12-10
Como Citar
Serpa, A. (1995). Apropriação do espaço urbano pela criança: a importância do jogo lúdico. Paisagem E Ambiente, (8), 177-210. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i8p177-210
Edição
Seção
Pesquisa