O Passeio Público do Rio de Janeiro: Análise Histórica com Auxílio da Representação Gráfica Digital

  • Naylor Barbosa Vilas Boas Universidade Federal do Rio de Janeiro. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Gama Filho

Resumo

O presente artigo tem por objetivo expor uma breve análise histórica do Passeio Público do Rio de Janeiro, um dos mais importantes jardins públicos da cidade ao longo do século 19, concebido originalmente no século 18, por mestre Valentim da Fonseca e Silva, ilustre artista do Rio colonial. Por meio de modernos recursos de reconstrução virtual e modelagem eletrônica, baseados em intensas pesquisas iconográficas e na análise de antigos relatos de viajantes, foram recriados os dois principais momentos desse jardim ao longo desses dois séculos de existência: o Passeio Público original de mestre Valentim e o passeio remodelado na reforma romântica de 1860, por Auguste Glaziou. Originalmente fazendo parte de um trabalho que trata de questões de análise da percepção do espaço, a utilização de recursos de reconstrução virtual e modelagem eletrônica apresenta-se como uma importante ferramenta de auxílio na reconstituição de espaços que não mais existem fisicamente, permitindo assim a simulação das percepções vivenciadas por um observador hipotético caminhando por eles

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naylor Barbosa Vilas Boas, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Gama Filho
Arquiteto, mestre em história e teoria da arquitetura - PROARQ / UFRJ, professor substituto da FAU/UFRJ, professor de Arquitetura da Universidade Gama Filho
Publicado
2000-12-10
Como Citar
Vilas Boas, N. (2000). O Passeio Público do Rio de Janeiro: Análise Histórica com Auxílio da Representação Gráfica Digital. Paisagem E Ambiente, (13), 97-124. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i13p97-124
Seção
História