Rio Tamanduateí - nascente à foz: percepções da paisagem e processos participativos

  • Daniela Ramalho Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Arquitetura paisagística. Urbanismo. Recursos hídricos. Água. Cidadania. Meio ambiente. Participação comunitária. Interdisciplinaridade. Paisagens fluviais. Pesquisa-ação

Resumo

Este artigo foi baseado na dissertação de mestrado defendida na FAU-USP e busca a contribuição do arquiteto paisagista na preservação das Paisagens Fluviais Urbanas. A metodologia adotada foi a pesquisa-ação, a qual norteou um embasamento teórico e empírico que resultou na aplicação de oficinas em representantes das comunidades envolvidas, além de representantes dos setores públicos, privados, não-governamentais e instituições de ensino. Os produtos resultantes das oficinas foram dois projetos de paisagismo em áreas públicas e um vídeo documentário com o registro de todo o processo participativo de percepção e ação na preservação das paisagens fluviais da nascente à foz do Rio Tamanduateí.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Ramalho, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Mestre em Paisagismo – FAU USP.
Publicado
2007-12-31
Como Citar
Ramalho, D. (2007). Rio Tamanduateí - nascente à foz: percepções da paisagem e processos participativos. Paisagem E Ambiente, (24), 99-114. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i24p99-114
Seção
ENEPEA