Os espaços livres e edificados e a forma urbana no vetor norte da região metropolitana de Belo Horizonte

  • Marieta Cardoso Maciel Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura
  • Daniele Gomes Ferreira Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura
  • Karina Machado de Castro Simão Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura
  • Marina Bretas Ullmann Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura
Palavras-chave: Forma urbana. Espaços livres. Região Metropolitana de Belo Horizonte. Vetor Norte. Identificação.

Resumo

As formas urbanas são decorrentes das alterações ambientais do lugar, ou seja, das suas condições físicas, biológicas e antrópicas, sendo a última a principal indutora de transformações. As cidades e suas paisagens alteram-se quando mudam as condições socioeconômicas e culturais, como ocorre em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, que se expande além de seus limites físicos e políticos, conurbando-se com os demais municípios da Região Metropolitana. As ocupações ocorrem desordenadamente, ocasionando problemas de gestão pública, saneamento, mobilidade, além de problemas de ordem ambiental. O presente trabalho aborda a área conurbada da Região Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), chamada de “Vetor Norte”, e sua relação com os espaços livres públicos existentes, através de análises qualitativas e quantitativas. Ainda que os espaços livres públicos sejam considerados como permanências no tecido urbano, os espaços edificados ampliam-se, respeitando ou não as legislações vigentes. A ocorrência maior deste conflito está localizada, principalmente, na área abordada, impulsionada pela construção da Linha Verde e de outros equipamentos, razão da sua escolha para o estudo. Através do conhecimento destes espaços, com base nas variáveis históricas e contemporâneas, será possível construir um referencial metodológico das relações entre os espaços livres públicos, os espaços edificados e a forma urbana. Os espaços livres podem ser considerados elementos estruturantes da forma da cidade, e de legítima importância para a qualidade de vida urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marieta Cardoso Maciel, Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura

Arquiteta pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Doutora em Estruturas Ambientais Urbanas pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professora associada 4 do Departamento de Projetos da Escola de Arquitetura da UFMG. 

Daniele Gomes Ferreira, Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura

Arquiteta pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela UFMG.

Karina Machado de Castro Simão, Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura

Arquiteta pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela UFMG. 

Marina Bretas Ullmann Fernandes, Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Arquitetura

Graduando em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Publicado
2014-06-25
Como Citar
Maciel, M., Ferreira, D., Simão, K., & Fernandes, M. (2014). Os espaços livres e edificados e a forma urbana no vetor norte da região metropolitana de Belo Horizonte. Paisagem E Ambiente, (33), 139-148. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i33p139-148
Seção
Espaços Livres