Razão pública e paisagem: reflexões e subsídios teóricos-conceituais para o entendimento para a qualificação da urbanização contemporânea

  • Eugenio Fernandes Queiroga Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Esfera pública. Razão pública. Paisagem. Urbanização contemporânea. Paisagismo.

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão referente à esfera de vida pública na contemporaneidade, e apresenta uma formulação do conceito de “esfera pública geral”, incluindo, além da esfera pública política, toda a vida em público. A partir da teoria da ação comunicativa elaborada por Habermas, fundamenta-se a expressão “razão pública”. Tendo por base a noção de paisagem enquanto mediação entre sujeito que percebe e formas, agentes e ações percebidas, discute-se o papel ativo da paisagem enquanto dimensão pública, constitutiva dos processos socioespaciais no meio urbano. Dessa maneira, a relevância da paisagem e do projeto para a qualificação do cotidiano e da esfera pública nas cidades brasileiras precisa ser melhor considerada, sobretudo para a constituição da cidadania (domínio das liberdades), mais do que simples crescimento do mercado consumidor interno (domínio das necessidades).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eugenio Fernandes Queiroga, Universidade de São Paulo

Arquiteto e Urbanista, mestre, doutor, livre-docente em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professor associado da FAUUSP e bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana [1958]. 5 ed. Tradução de Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1991. 352 p.

AVRITZER, Leonardo; COSTA, Sérgio. Teoria crítica, democracia e esfera pública: concepções e usos na América Latina. Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP/UERJ): Revista Dados, Rio de Janeiro, v. 47, n. 4, 2004, p. 703-728.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa [1962]. Tradução de Flávio Kothe. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984. 397 p.

HABERMAS, Jürgen. The theory of communicative action [1983]. Translated by Thomas Maccarthy. Boston: Beacon Press, 1987. vol. 2. Lifeworld and system: a critique of functionalist reason. v. 2.

HABERMAS, Jürgen. O discurso filosófico da modernidade. [1985]. Tradução de Ana Maria Bernardo et al. Lisboa: Dom Quixote, 1990. 540 p.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: facticidade e validade [1992]. 2 ed. Tradução de Flávio Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003. 2 v.

HABERMAS, Jürgen. A inclusão do outro: estudos de teoria política [1996]. 3 ed. Tradução de George Sperber, Paulo Soethe, Milton Mota. São Paulo: Loyola, 2007. 404 p.

HABERMAS, Jürgen. A constelação pós nacional: ensaios políticos [1998]. Tradução de Márcio Seligmann-Silva. São Paulo: Littera Mundi, 2001. 220 p.

HABERMAS, Jürgen. Entre naturalismo y religión [2005]. Traducción de Pere Fabra et al. Barcelona: Paidós, 2006. 363 p.

LEFEBVRE, Henri. The production of space [1974]. 2 ed. Tradução de Donald Nicholson-Smith. Malden-MA: Blackwell, 2009. 454 p.

LEITE, Maria Angela. As tramas da segregação: privatização do espaço público. 1998. 91 f. Tese (Livre-Docência em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

LEITE, Rogério Proença.Contra : lugares e espaço público na experiência urbana contemporânea. Campinas: Editora da UNICAMP; Aracaju: Editora da UFS, 2004. 360 p.

PESSOA, Fernando. Obra poética. 3 ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005. 183 p.

QUEIROGA, Eugenio. Por um paisagismo crítico: uma leitura sobre a contribuição de Miranda Magnoli para a ampliação do corpus disciplinar do paisagismo. Paisagem e Ambiente: ensaios, n. 21, 2006. São Paulo: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, p. 55-63.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996. 308 p.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000. 174 p.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade [1974]. Tradução de Lígia Watanabe. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. 447 p.

Publicado
2014-12-07
Como Citar
Queiroga, E. (2014). Razão pública e paisagem: reflexões e subsídios teóricos-conceituais para o entendimento para a qualificação da urbanização contemporânea. Paisagem E Ambiente, (34), 11-34. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i34p11-34
Seção
Fundamentos