Razão pública e paisagem: reflexões e subsídios teóricos-conceituais para o entendimento para a qualificação da urbanização contemporânea

  • Eugenio Fernandes Queiroga Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Esfera pública. Razão pública. Paisagem. Urbanização contemporânea. Paisagismo.

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão referente à esfera de vida pública na contemporaneidade, e apresenta uma formulação do conceito de “esfera pública geral”, incluindo, além da esfera pública política, toda a vida em público. A partir da teoria da ação comunicativa elaborada por Habermas, fundamenta-se a expressão “razão pública”. Tendo por base a noção de paisagem enquanto mediação entre sujeito que percebe e formas, agentes e ações percebidas, discute-se o papel ativo da paisagem enquanto dimensão pública, constitutiva dos processos socioespaciais no meio urbano. Dessa maneira, a relevância da paisagem e do projeto para a qualificação do cotidiano e da esfera pública nas cidades brasileiras precisa ser melhor considerada, sobretudo para a constituição da cidadania (domínio das liberdades), mais do que simples crescimento do mercado consumidor interno (domínio das necessidades).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eugenio Fernandes Queiroga, Universidade de São Paulo

Arquiteto e Urbanista, mestre, doutor, livre-docente em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professor associado da FAUUSP e bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Publicado
2014-12-07
Como Citar
Queiroga, E. (2014). Razão pública e paisagem: reflexões e subsídios teóricos-conceituais para o entendimento para a qualificação da urbanização contemporânea. Paisagem E Ambiente, (34), 11-34. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i34p11-34
Seção
Fundamentos