Identificacao e Notificacao dos Maus-tratos Infantis no Setor Educacional

  • Marina Rezende Bazon Universidade de Sao Paulo; Faculdade de Filosofia, Ciencias e Letras de Ribeirao Preto; Departamento de Psicologia
  • Juliana Martins Faleiros Universidade de Sao Paulo; Faculdade de Filosofia, Ciencias e Letras de Ribeirao Preto

Abstract

Este estudo teve como objetivos conhecer: (a) o que pensam os profissionais da educação com relação à notificação dos maus-tratos infantis; (b) o que fazem frente a esses casos; (c) suas alegações para não notificar. Participaram 22 diretores/coordenadores e 139 professores de escolas públicas de duas cidades do interior do Estado de São Paulo. Empregaram-se um questionário para a caracterização sociodemográfica e dos conhecimentos sobre o tema e uma questão aberta sobre o ato de notificar. A análise de dados, quantitativo-interpretativa, indicou que a maioria dos professores teve contato com casos suspeitos de maus-tratos que, majoritariamente, foram comunicados à direção; esta com maior frequência decidiu por não notificar, mas por tentar resolver a situação, conversando com os envolvidos e/ou encaminhando-os para tratamento. As principais razões para não notificar foram o medo e a falta de confiança no sistema de proteção. Desse modo, estão deixando de desempenhar o devido papel no sistema de proteção infantil.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2013-04-01
How to Cite
Bazon, M., & Faleiros, J. (2013). Identificacao e Notificacao dos Maus-tratos Infantis no Setor Educacional. Paidéia (Ribeirão Preto), 23(54), 53-61. https://doi.org/10.1590/1982-43272354201307
Section
Articles