Variação linguística e alemão como língua estrangeira

contribuições a partir da análise de dois livros didáticos

  • Bernardo Limberger Universidade Federal de Pelotas
  • Fernanda Von Mühlen Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Palavras-chave: Variação linguística, alemão como língua estrangeira, livros didáticos

Resumo

Muitas vezes, instituições escolares e políticas supervalorizam a norma padrão, raramente reconhecendo a legitimidade da variação linguística. Entretanto, a variação (histórica, geográfica, social ou estilística), sendo inerente a todas as línguas, não pode ser ignorada. Em sala de aula, tanto de língua materna quanto de língua estrangeira, é necessário abordar a variação, de modo que o aluno possa usar a língua em contextos diversificados e realísticos, sem criar uma versão estereotipada. Assim, o objetivo deste artigo é compreender se e em que contextos as diferentes variedades da língua alemã se concretizam em dois livros didáticos para o ensino como língua estrangeira, um para adolescentes e outro para adultos. O método da pesquisa é de cunho quanti-qualitativo, estabelecendo uma visão panorâmica da variação e analisando o tratamento dado a ela em atividades selecionadas. Os resultados sugerem que os livros abordam apenas alguns aspectos da variação geográfica e estilística. Na discussão, são problematizados esses resultados, com o intuito de auxiliar professores na avaliação e no manejo de materiais didáticos com relação à variação linguística.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-02-22
Como Citar
Limberger, B., & Von Mühlen, F. (2019). Variação linguística e alemão como língua estrangeira. Pandaemonium Germanicum, 22(37), 331-356. https://doi.org/10.11606/1982-88372237331
Seção
Artigos