Die Toten (2016) de Christian Kracht: encenação textual e autoral

  • Raquel Meneguzzo Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Christian Kracht, Os Mortos, encenação, literatura contemporânea

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o último romance de Christian Kracht, Die Toten (Os Mortos, 2016), a partir da ótica da encenação textual e autoral, ou seja, examinando o texto em suas configurações linguísticas e relações intertextuais; e o autor em sua presença midiática – através da qual se encena de modo ambíguo e estabelece relações entre sua figura autoral e o personagem principal de sua obra. O conceito de campo literário de Bourdieu (1996) e de paratexto de Genette (1989) oferecem subsídios teóricos para a abordagem feita. Percebe-se que Kracht, em Die Toten, utiliza várias estratégias para refletir sobre a própria obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-06-13
Como Citar
Meneguzzo, R. (2019). Die Toten (2016) de Christian Kracht: encenação textual e autoral. Pandaemonium Germanicum, 22(38), 210-235. https://doi.org/10.11606/1982-88372238210
Seção
Artigos