Robert Schumann e a tradução: criação poética, simultaneidade e movimento

  • João Azenha Junior USP; FFLCH; Departamento de Letras Modernas; Área de Alemão
Palavras-chave: Robert Schumann, Escritos sobre a Música e os Músicos, tradução

Resumo

Este trabalho examina os Escritos sobre a Música e os Músicos, do compositor alemão Robert Schumann, em especial as resenhas escritas entre 1834 e 1836, com vistas a identificar ecos das principais ideias sobre linguagem e tradução desenvolvidas na Alemanha entre o final do séc. XVIII e o início do séc. XIX. Os eixos escolhidos para construir essa ideia são os eixos do sujeito e do tempo perpassados pela noção de movimento. Do primeiro, destaca-se a ancoragem vertical, personalíssima, operada no interior do sujeito que transita de um sistema sígnico para outro, que traduz seus pensamentos, ou ainda que empreende a passagem de uma língua para outra. Do segundo, tem-se em conta a configuração desse mergulho num produto que desmantela as barreiras do tempo e, de um só golpe, contemporiza o passado e inclui o futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-07-01
Como Citar
Azenha Junior, J. (2012). Robert Schumann e a tradução: criação poética, simultaneidade e movimento . Pandaemonium Germanicum, 15(19), 213-230. https://doi.org/10.1590/S1982-88372012000100011
Seção
Estudos de Tradução - Übersetzungswissenschaft