Walter Benjamin: Between Academic Fashion and the Avant-Garde

  • Susan Buck-Morss
Palavras-chave: Filosofia da história, Walter Benjamin, Vanguarda soviética.

Resumo

Nestes tempos de triunfo do capitalismo sobre o socialismo real, o presente artigo mostra que, apesar de suas diferenças ideológicas, ambos os sistemas baseiam-se numa concepção da história como progresso. Contrastivamente, é lembrada a filosofia da história de Walter Benjamin, marcada pela crítica do progresso e a concepção de um tempo revolucionário, que interrompe o continuum histórico. À luz da teoria benjaminiana é estudado o conflito de concepções de tempo entre os artistas soviéticos das duas décadas posteriores à Revolução de Outubro de 1917: de um lado, o tempo da interrupção, anárquico, autônomo e crítico - que é o tempo da avant-garde-, do outro lado, a sincronização com a idéia de um tempo progressivo tal como foi decretado pelo Partido Comunista; este é o tempo das vanguardas, cuja contrapartida capitalista é a moda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susan Buck-Morss

The author is Professor of Political Philosophy and Social Theory at Cornell University, USA.

Publicado
2001-12-19
Como Citar
Buck-Morss, S. (2001). Walter Benjamin: Between Academic Fashion and the Avant-Garde. Pandaemonium Germanicum, (5), 73-88. https://doi.org/10.11606/1982-8837.pg.2001.64326
Edição
Seção
Literatura/Cultura - Literatur-/Kulturwissenschaft