Zerstören oder Bewahren? Umgang mit kulturellem Erbe bel H. Böll und E. Loest

  • Helmut Galle
Palavras-chave: Memória cultural, conservação de patrimônio cultural, urbanização, literatura como oposição cultural, Böll, Loest

Resumo

O artigo descreve e analisa como dois importantes autores de oposição intelectual na Alemanha Ocidental (Böll) e Oriental (Loest) reconstroem, cada um para sua sociedade, as atitudes dominantes frente ao patrimônio cultural e arquitetônico. Em cada caso, as atitudes das elites do poder diferem daquelas dos opositores: Na RFA, o governo, em geral, preserva os monumentos, fingindo uma continuidade histórica; na RDA, o governo destrói palácios e igrejas para romper com as tradições. Os autores simpatizam com os opositores: Böll, no oeste, enfatiza a necessidade de destruir o patrimônio cultural para recuperar a função memorativa do mesmo, enquanto Loest opta pela resistência contra a política oficial da destruição no leste. A preservação de monumentos históricos é vista, em ambos os casos, em função das necessidades da geração atual, não como valor em si mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helmut Galle

Der Autor ist Professor für Deutsche Literatur und Übersetzung der Área de Alemão an der Universidade de São Paulo.

Publicado
2003-12-19
Como Citar
Galle, H. (2003). Zerstören oder Bewahren? Umgang mit kulturellem Erbe bel H. Böll und E. Loest. Pandaemonium Germanicum, (7), 121-152. https://doi.org/10.11606/1982-8837.pg.2003.64880
Edição
Seção
Literatura/ Cultura - Literatur-/Kulturwissenschaft